O PROFESSOR DE EDUCAÇÃO FÍSICA E O STATUS SOCIAL: O CASO REGULAMENTAÇÃO DA PROFISSÃO

Autores

  • Nicole Roessle Guaita UFPR
  • Marcelo Moraes e Silva UFPR

DOI:

https://doi.org/10.22456/1982-8918.2930

Palavras-chave:

Educação Física. Credenciamento. Mobilidade social

Resumo

O presente ensaio tem como objetivo analisar a existência de um possível ganho de status social do professor de Educação Física em relação com o processo de regulamentação. Além disso, o trabalho procura mostrar quais são as causas que levam a comunidade de Educação Física a criar e aceitar o sistema CONFEF/CREFs e como esse processo de regulamentação profissional atinge o imaginário coletivo. Após esses pontos de análise concluímos que esse organismo surge, entre outros pontos, da fraqueza que o professor de Educação Física tem em lidar com os problemas provenientes da civilização.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Nicole Roessle Guaita, UFPR

Aluna do Programa de Pós-Graduação em Educação, linha de pesquisa Cultura, Escola e Ensino, da Universidade Federal do Paraná. Professora Substituta do Departamento de Teoria e Prática de Ensino, do Setor de Educação, da Universidade Federal do Paraná. E-mail: nicoleguaita@yahoo.com.br

 

Marcelo Moraes e Silva, UFPR

Aluno do Programa de Pós-Graduação em Educação, linha de pesquisa Cultura, Escola e Ensino, da Universidade Federal do Paraná. Professor da Prefeitura Municipal de Araucária – PR. E-mail: moraes_marc@yahoo.com.br

Downloads

Publicado

2007-12-29

Como Citar

GUAITA, N. R.; SILVA, M. M. e. O PROFESSOR DE EDUCAÇÃO FÍSICA E O STATUS SOCIAL: O CASO REGULAMENTAÇÃO DA PROFISSÃO. Movimento, [S. l.], v. 13, n. 1, p. 131–149, 2007. DOI: 10.22456/1982-8918.2930. Disponível em: https://seer.ufrgs.br/index.php/Movimento/article/view/2930. Acesso em: 30 jun. 2022.

Edição

Seção

Ensaios