Sobre a Revista

A revista Cadernos do Aplicação (ISSN 2595-4377 - online) constitui um espaço acadêmico aberto, amplo e sistemático para divulgação de produções científicas realizadas por pesquisadores e professores, bem como por alunos em seção específica. É editada semestralmente e se destina à divulgação de trabalhos científicos originais, inéditos, e resultantes de atividades de ensino, de ações extensionistas e de pesquisas relacionados à construção do conhecimento em diferentes áreas e problemáticas da Educação Básica. A política editorial da revista tem como objetivo promover o debate, a crítica e a troca de experiência entre docentes, pesquisadores, estudantes e demais profissionais interessados no Ensino Básico, de forma a contribuir no debate acadêmico e nas práticas escolares. 

A partir do número 35, de 2022, a revista passa a adotar o fluxo contínuo de artigos. 


Qualis 2013 - 2016: B4 (Ensino)

Qualis 2019 (prévia): B2

Índice h: 6

Índice i10: 4


 

ACESSE AQUI A EDIÇÃO ATUAL

 

 

Notícias

Chamada para publicação - 2023

2022-09-16

 A Comissão Editorial da Revista Cadernos do Aplicação (UFRGS) informa que está recebendo trabalhos para a Edição de 2023. O prazo para submissão de artigos vai até 15 de dezembro de 2022. Para este número, teremos 2 temáticas especiais: Literatura e educação para as relações étnico-raciais na escola” e “Lutas, artes marciais e esportes de combate na Educação Física escolar”. Além de trabalhos referentes ao assunto das temáticas especiais, as outras seções estão abertas para quaisquer assuntos relacionados à pesquisa e aos relatos de experiências em Educação Básica. A seção Cadernos dos Alunos recebe textos escritos por alunos da Educação Básica, como ensaios, reflexões e seus trabalhos de pesquisa em iniciação científica.

As temáticas especiais estão divididas em duas seções da revista: Temática Especial 1 e Temática Especial 2. 

Temática Especial 1: Literatura e educação para as relações étnico-raciais na escola

Sabemos que a história da literatura e a construção do cânone silenciaram determinadas vozes, apagando do nosso imaginário as trajetórias e as identidades tanto dos povos originários quanto da população negra. Além de elaborar estereótipos e de ignorar a perspectiva negra e indígena, muitas vezes, a escola invisibiliza as produções artísticas de sujeitos não brancos e estabelece hierarquias, atribuindo valor apenas à palavra escrita, descartando as narrativas orais. Na contemporaneidade, a partir de uma postura de resistência e engajamento de líderes desses grupos identitários, as literaturas de autoria indígena e de autoria negra têm sido mais valorizadas e têm circulado nas escolas. Diante desse cenário, tendo em vista nosso compromisso ético com a diversidade e com um projeto de sociedade antirracista, lançamos para este dossiê uma provocação: na educação básica, de que maneira a criação artística e literária escrita por negras e negros e por indígenais (contemplando, também, as narrativas orais) têm circulado no tempo e no espaço escolar? Para compormos uma educação literária diversificada e diversa, comprometida com a educação para as relações étnico-raciais (ERER), será preciso deslocarmos nosso olhar, convocando, assim, outras epistemologias, afrocentradas, originárias e/ou decoloniais. No tempo e espaço escolar, tal mudança de paradigma repercute na composição do repertório literário oferecido e disponibilizado e, é claro, na nossa postura diante dessa produção: além de incluir autoras(es) indígenas e negras(os) na nossa lista de leituras, é preciso compreender seu modo de ser e estar no mundo. Uma escola etnicamente democrática demanda comprometimento com uma educação antirracista e com a implementação das Leis nº 10.639/2003 e 11.645/2008. Desse modo, a temática especial "Literatura e educação para as relações étnico-raciais na escola" volta-se, então, às(aos) profissionais da educação, escritoras(es), ilustradoras(es), pesquisadoras(es) que desenvolvem práticas pedagógicas, pesquisas, criações artísticas que versem sobre as relações existentes especificamente entre leitura literária, ERER e educação básica.

Organizadoras(es): Caroline Valada Becker (CAp/UFRGS), Cláudia Helena Dutra da Silva Jaskulski (CAp/UFRGS), Edson Machado de Brito Kayapó (IFBA), Gládis Elise Pereira da Silva Kaercher (FACED/UFRGS), Mayara Costa da Silva (CAp/UFRGS), Raquel Rodrigues Ramos Kubeo (Rede Indígena Porto Alegre) e Sílvia Barros da Silva Freire (Colégio Pedro II)

 

Temática Especial 2: Lutas, artes marciais e esportes de combate na Educação Física escolar

As lutas, artes marciais ou esportes de combate, são conteúdos da Educação Física escolar, reconhecidos tanto pelos documentos oficiais como pelas discussões acadêmicas. Porém, uma série de dificuldades tem sido impostas no campo de forma a dificultar sua efetiva inclusão nas aulas. A falta de conhecimento dos professores, as associações com a violência, os preconceitos e as escolhas por uma modalidade são razões apontadas na literatura que explicam por que esse conteúdo raramente é trabalhado. Esta chamada se dedica aos autores do campo, a fim de que contribuam com Artigos, Ensaios, Relatos de Experiência, Revisões de Literatura ou Resenhas, conforme as diretrizes da revista, que versem sobre o campo das Lutas na escola básica. Desse modo, buscam-se textos que investigam o fazer pedagógico em Lutas na educação básica. São admitidos trabalhos que versem sobre Lutas nas diferentes etapas e modalidades de ensino, instituições públicas e privadas, espaços curriculares de turno e contraturno. Destaca-se a importância do tema tendo em vista a implementação da BNCC, que reafirma a presença das Lutas no currículo.

Referências:
• BRASIL. Ministério da Educação e Cultura. Secretaria de Educação Fundamental. Parâmetros curriculares nacionais: Educação Física. Brasília: MEC/SEF, 1997.
• BRASIL. Ministério da Educação. Base Nacional Comum Curricular. Brasília, 2018.
• GONZÁLEZ, F.J.; DARIDO, S.C.; OLIVEIRA, A.A.B. (org.). Lutas, capoeira e práticas corporais de aventura. Maringá: Eduem, 2014.
• RUFINO, L.G.B, A pedagogia das lutas: caminhos e possibilidades. Jundiaí: Paco Editorial, 2012.

Organizadores(as):Prof. Dr. Daniel Giordani Vasques – (CAp/UFRGS), Prof. Dr. Flávio Py Mariante Neto – (Universidade Luterana do Brasil), Profa. Dra. Maitê Venuto de Freitas (Prefeitura Municipal de Porto Alegre)

Saiba mais sobre Chamada para publicação - 2023

Edição Atual

v. 35 (2022): Cadernos do Aplicação 2022

Publicação Ahead of Print: os artigos foram avaliados por pares e aprovados para publicação. Os manuscritos passarão pela formatação final.

Fluxo contínuo de artigos.

Publicado: 2022-05-28

Temática Especial 1

Temática Especial 2

Ensaios

Cadernos dos Alunos

Ver Todas as Edições

A revista Cadernos do Aplicação (ISSN 2595-4377 - online) constitui um espaço acadêmico aberto, amplo e sistemático para divulgação de produções científicas realizadas por pesquisadores e professores, bem como por alunos em seção específica. É editada semestralmente e se destina à divulgação de trabalhos científicos originais, inéditos, e resultantes de atividades de ensino, de ações extensionistas e de pesquisas relacionados à construção do conhecimento em diferentes áreas e problemáticas da Educação Básica. A política editorial da revista tem como objetivo promover o debate, a crítica e a troca de experiência entre docentes, pesquisadores, estudantes e demais profissionais interessados no Ensino Básico, de forma a contribuir no debate acadêmico e nas práticas escolares. 

A partir do número 35, de 2022, a revista passa a adotar o fluxo contínuo de artigos.