EDUCAÇÃO FÍSICA, CULTURA E ESCOLA: DA DIFERENÇA COMO DESIGUALDADE À ALTERIDADE COMO POSSIBILIDADE

Autores

  • Rogério Cruz de Oliveira Faculdade de Educação Física - Universidade Estadual de Campinas (FEF/UNICAMP)
  • Jocimar Daolio Faculdade de Educação Física - Universidade Estadual de Campinas (FEF/UNICAMP)

DOI:

https://doi.org/10.22456/1982-8918.8279

Palavras-chave:

Educação Física. Educação. Preconceito. Identidade de gênero.

Resumo

Este estudo objetiva compreender como as diferenças são significadas e representadas pelos alunos nas aulas de educação física. Trata-se de uma etnografia desenvolvida numa escola pública do município de Campinas-SP. Tal incurso levou-nos à compreensão de que as diferenças apresentadas pelos alunos constituíram parâmetros definidores de desigualdade de oportunidades, preconceitos e sectarismos. Assim, o entendimento das diferenças esteve permeado por certos reducionismos, enxergando o “outro” somente por suas características mais visíveis, obscurecendo a complexidade da dinâmica cultural. Por fim, compreendemos que é desejável que as diferenças sejam consideradas na ótica da alteridade subsidiada por uma perspectiva intercultural de educação.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Rogério Cruz de Oliveira, Faculdade de Educação Física - Universidade Estadual de Campinas (FEF/UNICAMP)

Doutorando em Educação Física - FEF/UNICAMP

Grupo de Estudo e Pesquisa Educação Física e Cultura (GEPEFIC/FEF/UNICAMP)

Jocimar Daolio, Faculdade de Educação Física - Universidade Estadual de Campinas (FEF/UNICAMP)

Professor Livre-Docente FEF/UNICAMP

Coordenador do Grupo de Estudo e Pesquisa Educação Física e Cultura (GEPEFIC/FEF/UNICAMP)

Publicado

2009-12-03

Como Citar

OLIVEIRA, R. C. de; DAOLIO, J. EDUCAÇÃO FÍSICA, CULTURA E ESCOLA: DA DIFERENÇA COMO DESIGUALDADE À ALTERIDADE COMO POSSIBILIDADE. Movimento, [S. l.], v. 16, n. 1, p. 149–167, 2009. DOI: 10.22456/1982-8918.8279. Disponível em: https://seer.ufrgs.br/index.php/Movimento/article/view/8279. Acesso em: 3 dez. 2022.

Edição

Seção

Artigos Originais