CAMINHOS DA EXCLUSÃO: ANÁLISE DO PRECONCEITO EM SUA MANIFESTAÇÃO NOS JOGOS INFANTIS

Autores

  • Gustavo Martins Piccolo Universidade Federal de São Carlos (UFSCar)

DOI:

https://doi.org/10.22456/1982-8918.8183

Palavras-chave:

Educação Infantil. Preconceito. Jogos e brinquedos

Resumo

O presente texto objetiva compreender a estrutura componente das manifestações preconceituosas expressas por crianças de 5 e 6 anos, na prática de jogos e brincadeiras. Este estudo, realizado em uma pré-escola, orientou-se pela perspectiva Histórico-Cultural de Vigotsky, cujos resultados, impressos fundamentalmente nas categorias gênero e raça, possibilitaram-nos a derivação da constituição cíclica do preconceito em três etapas, quais sejam: a) rotulação pejorativa da diferença; b) discriminação da diferença; e, c) cristalização do preconceito. Finaliza, destacando a premência da atividade mediadora docente como elemento basilar na transformação do preconceito e na possível materialização de relações sociais dialógicas e cooperativas.


 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Gustavo Martins Piccolo, Universidade Federal de São Carlos (UFSCar)

Licenciado e Bacharel em Educação Física pela Universidade Federal de São Carlos (UFSCar), Mestre em Educação pela UFSCar, Doutorando em Educação Especial pela UFSCar e, Professor efetivo de Educação Física da rede estadual de São Paulo, município de Araraquara.

Publicado

2009-10-01

Como Citar

PICCOLO, G. M. CAMINHOS DA EXCLUSÃO: ANÁLISE DO PRECONCEITO EM SUA MANIFESTAÇÃO NOS JOGOS INFANTIS. Movimento, [S. l.], v. 16, n. 1, p. 191–207, 2009. DOI: 10.22456/1982-8918.8183. Disponível em: https://seer.ufrgs.br/index.php/Movimento/article/view/8183. Acesso em: 3 dez. 2022.

Edição

Seção

Artigos Originais