CAMINHOS DA EXCLUSÃO: ANÁLISE DO PRECONCEITO EM SUA MANIFESTAÇÃO NOS JOGOS INFANTIS

Gustavo Martins Piccolo

Resumo


O presente texto objetiva compreender a estrutura componente das manifestações preconceituosas expressas por crianças de 5 e 6 anos, na prática de jogos e brincadeiras. Este estudo, realizado em uma pré-escola, orientou-se pela perspectiva Histórico-Cultural de Vigotsky, cujos resultados, impressos fundamentalmente nas categorias gênero e raça, possibilitaram-nos a derivação da constituição cíclica do preconceito em três etapas, quais sejam: a) rotulação pejorativa da diferença; b) discriminação da diferença; e, c) cristalização do preconceito. Finaliza, destacando a premência da atividade mediadora docente como elemento basilar na transformação do preconceito e na possível materialização de relações sociais dialógicas e cooperativas.


 


Palavras-chave


Educação Infantil. Preconceito. Jogos e brinquedos



DOI: https://doi.org/10.22456/1982-8918.8183

Direitos autorais




Movimento

Escola de Educação Física, Fisioterapia e Dança | Universidade Federal do Rio Grande do Sul | UFRGS
Endereço: Rua Felizardo, 750, Jardim Botânico, Porto Alegre, Rio Grande do Sul, Brasil, CEP 90690-200
E-mail: movimento@ufrgs.br
 

Bases de Dados Indexadoras

 

                            

 

Apoio

 

        

 

Licença de cópias e declaração de boas práticas de avaliação

 

 Licença Creative CommonsSan Francisco Declaration on Research Assessment