LOCALIZANDO A CRITICIDADE NA POLÍTICA: A CONTÍNUA LUTA POR JUSTIÇA SOCIAL NA AGENDA DA EDUCAÇÃO FÍSICA ESCOLAR

Chris Hickey, Amanda Mooney, Laura Afrey

Resumo


Há um sentimento de promessa não realizada quando se analisa o progresso do projeto crítico da Educação Física desde a virada da segunda década do século XXI.  Estudos de qualidade continuam a emergir em torno da pedagogia crítica da Educação Física, evidenciando o prolongado comprometimento com sua promessa de fornecer aos aprendizes recursos pessoais e intelectuais que são necessários na orientação de produtivos futuros sadios num mundo cada mais complexo. Ademais, igualmente importante é a crítica a falta de tradução em qualquer meio que impacte na Educação Física escolar convencional. Neste artigo nós discutimos destacados exemplos de investigações contemporâneas que demonstram as contínuas lutas em contextos práticos e revisita barreiras que continuam a restringir as aspirações dos estudos críticos. Focando na Educação Física como uma prática cultural e curricular nas escolas australianas, nós damos primazia aos modos pelos quais políticas diretivas podem ser melhor mobilizadas para capacitar a agenda crítica.


Palavras-chave


Pedagogia crítica. Educação Física. Currículo. Atores políticos.

Texto completo:

PDF-ENG (English)


DOI: https://doi.org/10.22456/1982-8918.96231

Direitos autorais 2019 Movimento (ESEFID/UFRGS)

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.


Movimento

Escola de Educação Física, Fisioterapia e Dança | Universidade Federal do Rio Grande do Sul | UFRGS
Endereço: Rua Felizardo, 750, Jardim Botânico, Porto Alegre, Rio Grande do Sul, Brasil, CEP 90690-200
E-mail: movimento@ufrgs.br
 

Bases de Dados Indexadoras

 

                            

 

Apoio

 

        

 

Licença de cópias e declaração de boas práticas de avaliação

 

 Licença Creative CommonsSan Francisco Declaration on Research Assessment