CONTEXTO DE DESENVOLVIMENTO E A PERCEPÇÃO ESPACIAL DE CRIANÇAS

Autores

  • Ruy Jornada Krebs LADAP- UDESC CEP 3321-8600 E-mail: ruykrebs@yahoo.com.br Telefone para contato: (48) 3249-6258
  • Joana Desirée Carniel UDESC Telefone: (48) 8406-7275/ (48) 8403-1842/ (48) 3321-8600
  • Zênite Machado UDESC

DOI:

https://doi.org/10.22456/1982-8918.15483

Palavras-chave:

Contexto. Criança. Percepção espacial.

Resumo

Mudanças na estrutura social dos contextos onde a criança participa podem influenciar o desenvolvimento da percepção espacial. O objetivo deste estudo foi investigar os contextos de desenvolvimento e a percepção espacial de crianças, fundamentado na Teoria Bioecológica de Bronfenbrenner.  O questionário de Machado (2008) foi utilizado com 60 crianças. Os resultados mostraram que a preferência pelo local de lazer está relacionada com a estrutura física, segurança, falta de autonomia das crianças, transporte e lugares frequentados pelos pais. Verificou-se que a percepção espacial das crianças está relacionada aos locais frequentados por elas como, a casa, a escola e o próprio bairro.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ruy Jornada Krebs, LADAP- UDESC CEP 3321-8600 E-mail: ruykrebs@yahoo.com.br Telefone para contato: (48) 3249-6258

Professor PhD da UDESC, responsável pelo Laboratório de Desenvolvimento e Aprendizagem Motora- LADAP/UDESC.

Aprendizagem Motora, Desenvolvimento Humano 

Joana Desirée Carniel, UDESC Telefone: (48) 8406-7275/ (48) 8403-1842/ (48) 3321-8600

Professora de Educação Física, pesquisadora do Laboratório de Desenvolvimento e Aprendizagem Motora da Universidade do Estado de Santa Catarina

Aprendizagem Motora e Desenvolvimento Motor

Zênite Machado, UDESC

Professora Dra. da Udesc e orientadora no aboratório de Desenvolvimento e Aprendizagem Motora- LADAP. 

Desenvolvimento Motor

Downloads

Publicado

2011-03-27

Como Citar

KREBS, R. J.; CARNIEL, J. D.; MACHADO, Z. CONTEXTO DE DESENVOLVIMENTO E A PERCEPÇÃO ESPACIAL DE CRIANÇAS. Movimento, [S. l.], v. 17, n. 1, p. 195–211, 2011. DOI: 10.22456/1982-8918.15483. Disponível em: https://seer.ufrgs.br/index.php/Movimento/article/view/15483. Acesso em: 27 jun. 2022.

Edição

Seção

Artigos Originais