EDUCAÇÃO FÍSICA CRÍTICA EM PERSPECTIVA DEMOCRÁTICA E REPUBLICANA

Paulo Evaldo Fensterseifer, Fernando Jaime González, Sidinei Pithan da Silva

Resumo


O presente estudo consiste em um ensaio teórico que analisa limites e potencialidades dos discursos educacionais críticos que aspiram à mudança social. Busca, sobretudo, pensar um projeto de Educação Física (EF) comprometido com questões democráticas e republicanas. Para tanto, aponta, a partir da filosofia política de Hannah Arendt a necessidade de distinguir educação e política, reconhecendo o valor do conhecimento e da especificidade da EF. Condição que não impede e limita o valor dos aportes teóricos e críticos que permitem interpretar as relações entre educação e sociedade em cada momento histórico, o que sugere um aspecto complementar entre as tradições hermenêuticas, crítico-dialéticas e pós-estruturalistas para pensar o fenômeno da EF e  sua relação com o tema da república, da educação e da democracia.

 


Palavras-chave


Teoria Crítica. Democracia. República. Educação Física.

Texto completo:

PDF-POR PDF-ENG (English)


DOI: https://doi.org/10.22456/1982-8918.95771

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.

 

 


Movimento
Escola de Educação Física, Fisioterapia e Dança | Universidade Federal do Rio Grande do Sul | UFRGS
Endereço: Rua Felizardo, 750, Jardim Botânico, Porto Alegre, Rio Grande do Sul, Brasil, CEP 90690-200
E-mail: movimento@ufrgs.br
 

Bases de Dados Indexadoras

 

                                      

 

Apoio

 

        

 

Licença de cópias e declaração de boas práticas de avaliação

 

 Licença Creative CommonsSan Francisco Declaration on Research Assessment