POR QUE É QUE EU QUERO SER PROFESSOR DE EDUCAÇÃO FÍSICA? ANÁLISE DA MUDANÇA NA PERCEPÇÃO DURANTE A FORMAÇÃO UNIVERSITÁRIA E ANOS INICIAIS DA CARREIRA DOCENTE

David Hortigüela Alcalá, Gustavo González Calvo, Ángel Pérez-Pueyo

Resumo


O presente estudo tem dois objetivos: a) analisar a evolução da percepção dos futuros professores de EF do primeiro, quarto ano de carreira e graduados; b) contrastar a realidade profissional do professor de EF com a avaliação dos professores universitários de EF. Dez alunos participaram de um projeto longitudinal de seis anos, dividido em três fases (2012, 2015 e 2017). Oito professores universitários também participaram. Foi utilizada uma abordagem qualitativa com dois instrumentos de recolha de dados e foram estabelecidas três categorias de análise. Os resultados mostraram como, no primeiro ano, os alunos duvidam do que é ser professor na EF, enquanto no quarto ano mostram falta de motivação em relação à possibilidade de se tornar um. Por outro lado, os graduados refletem a incoerência existente entre a formação universitária recebida e a exigência do sistema de acesso ao serviço público, uma questão sobre a qual os professores universitários não concordam.

 


Palavras-chave


Educação física. Professores escolares. Papel profissional. Motivação.



DOI: https://doi.org/10.22456/1982-8918.93430

Direitos autorais 2020 Movimento (ESEFID/UFRGS)

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.

 

 


Movimento
Escola de Educação Física, Fisioterapia e Dança | Universidade Federal do Rio Grande do Sul | UFRGS
Endereço: Rua Felizardo, 750, Jardim Botânico, Porto Alegre, Rio Grande do Sul, Brasil, CEP 90690-200
E-mail: movimento@ufrgs.br
 

Bases de Dados Indexadoras

 

                            

 

Apoio

 

        

 

Licença de cópias e declaração de boas práticas de avaliação

 

 Licença Creative CommonsSan Francisco Declaration on Research Assessment