OS ESTEREÓTIPOS ÉTNICOS NOS PROFISSIONAIS DO ESPORTE

Mascia Migliorati, Antonio Fraile Aranda, Rufino Cano González

Resumo


O objetivo do artigo é saber se os atuais e futuros profissionais do esporte têm estereótipos étnicos a respeito dos desportistas negros. Entrevistamos 38 treinadores profissionais e estudantes de Educação Física e aplicamos um questionário a 272 estudantes de três Faculdades de Ciências Motoras da região italiana de Lácio. Os resultados mostram que, dentre os treinadores e estudantes de Educação Física, existem estereótipos étnicos ligados à procedência étnica e em relação ao rendimento desportivo, tais como a crença de superioridade e a predisposição biológico-genética dos desportistas negros para o basquete e para a corrida de velocidade, assim como uma menor predisposição para a natação. Isto supõe elaborar uma proposta formativo-pedagógica sobre as implicações educativas de certos estereótipos dentre os escolares.


Palavras-chave


Ensino. Esportes. Atletas. Grupo com ancestrais do continente africano.



DOI: https://doi.org/10.22456/1982-8918.59453

Direitos autorais 2016




Movimento

Escola de Educação Física, Fisioterapia e Dança | Universidade Federal do Rio Grande do Sul | UFRGS
Endereço: Rua Felizardo, 750, Jardim Botânico, Porto Alegre, Rio Grande do Sul, Brasil, CEP 90690-200
E-mail: movimento@ufrgs.br
 

Bases de Dados Indexadoras

 

                            

 

Apoio

 

        

 

Licença de cópias e declaração de boas práticas de avaliação

 

 Licença Creative CommonsSan Francisco Declaration on Research Assessment