A PRESERVAÇÃO DA MEMÓRIA ESTUDANTIL COMO PROPOSTA CURRICULAR DOS CURSOS DE EDUCAÇÃO FÍSICA: O CASO DO CENTRO DE MEMÓRIA DO DEPARTAMENTO DE EDUCAÇÃO FÍSICA (CEMEDEF) DA UFPR

Elyandra Caroline Alves de Souza, Andre Mendes Capraro

Resumo


Intervir na preservação da memória escolar não se resume a execução de tarefas técnicas, embora tais ações sejam necessárias num interim de valorização do patrimônio cultural produzidos pelas instituições educacionais. É essencial abarcar no planejamento para a constituição de centros de documentação, a relação com a prática docente, assim como a vivência discente. São esses os atores que produzem os acontecimentos da cultura escolar e devem ser os responsáveis pela guarda e conservação dos marcos que foram impressos na memória do contexto onde se estabeleceram. Fundamentados nessa premissa, esse artigo pretende apontar alternativas que estão sendo desenvolvidas no CEMEDEF (Centro de Memória do Departamento de Educação Física), de maneira que as intervenções possam ser avaliadas ou até mesmo subsidiar propostas para a fundação de novos centros de documentação escolar.


Palavras-chave


Memória. Escola Interdisciplinaridade

Texto completo:

PDF-BR


DOI: https://doi.org/10.22456/1982-8918.26735



 

 


Movimento
Escola de Educação Física, Fisioterapia e Dança | Universidade Federal do Rio Grande do Sul | UFRGS
Endereço: Rua Felizardo, 750, Jardim Botânico, Porto Alegre, Rio Grande do Sul, Brasil, CEP 90690-200
E-mail: movimento@ufrgs.br
 

Bases de Dados Indexadoras

 

                                      

 

Apoio

 

        

 

Licença de cópias e declaração de boas práticas de avaliação

 

 Licença Creative CommonsSan Francisco Declaration on Research Assessment