REGULAMENTAÇÃO DA "PROFISSÃO": DESEJOS E MAL-ESTARES

Alexandre Fernandes Vaz

Resumo


O objetivo do presente texto é apresentar um conjunto de reflexões, de caráter exploratório, sobre a "Regulamentação da Profissão de Educação Física". Procuro levantar algumas dificuldades, implicações e decorrências, desejos, motivações e mal-estares que se relacionam à tese e à aplicação da regulamentação da profissão. Nesse contexto discuto a relação dos "especialistas" com as práticas corporais. Minhas considerações apontam para a dificuldade em se limitar, sem grandes prejuízos, o campo as práticas corporais para os "profissionais de Educação Física". Defendo, por fim, a necessidade de um diálogo mais aberto e menos entrincheirado sobre o tema.

 

The aim of this paper is to present some exploratory reflections on the "Regulation of the Profession of Physical Education". I try to show up some difficulties, implications and consequences, desires, motivations and indispositions that link to the thesis and the application of the regulation of the profession. In that context I discuss the specialists' relationship with the corporal practices. My considerations point for the difficulty in limiting, without great damages, the corporal practices for the "professionals of Physical Education". I defend, however, the need of more free dialogue on the subject.


Palavras-chave


Regulamentação da Profissão. Práticas corporais. Mercado de trabalho em Educação Física

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.22456/1982-8918.2604



 

 


Movimento
Escola de Educação Física, Fisioterapia e Dança | Universidade Federal do Rio Grande do Sul | UFRGS
Endereço: Rua Felizardo, 750, Jardim Botânico, Porto Alegre, Rio Grande do Sul, Brasil, CEP 90690-200
E-mail: movimento@ufrgs.br
 

Bases de Dados Indexadoras

 

                                      

 

Apoio

 

        

 

Licença de cópias e declaração de boas práticas de avaliação

 

 Licença Creative CommonsSan Francisco Declaration on Research Assessment