Os Recursos Financeiros Descentralizados como Indutores da Gestão Democrática e Ferramentas para a Promoção da Qualidade do Ensino

Mariana Peleje Viana

Resumo


O trabalho busca analisar as relações entre os recursos financeiros transferidos diretamente para a escola pública (por meio de programas governamentais, como o Programa Dinheiro Direto na Escola, PDDE, o Programa de Transferência de Recursos Financeiros, PTRF, e a Verba de Adiantamento, no âmbito da prefeitura municipal de São Paulo) e a promoção da qualidade do ensino e da gestão democrática da escola. Os estudos apresentados apontam que os recursos financeiros contribuem com a qualidade do ensino do ponto de vista da operacionalização, infraestrutura, aquisição de materiais pedagógicos e manutenção diária da escola, além disso, promovem o desenvolvimento de projetos pedagógicos, os quais, ao serem articulados com os recursos financeiros, podem se constituir como fatores indutores da gestão democrática e contribuir para a autonomia escolar. O estudo pretende contribuir com o debate sobre as políticas educacionais, tendo em vista também o contexto de implementação do Plano Nacional de Educação.

Palavras-chave


Recursos Financeiros Descentralizados. Gestão Democrática. Programa Dinheiro Direto na Escola (PDDE). Programa de Transferência de Recursos Financeiros (PTRF). Verba de Adiantamento.

Texto completo:

PDF

Referências


BRASIL. Ministério da Educação. Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação. Resolução nº 04 de 17 de março de 2009, que dispõe sobre processos de adesão e habilitação e formas de execução e prestação de contas do PDDE. Brasília, 2009.

BRASIL. Ministério da Educação. Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação. Resolução/CD/FNDE nº 10, de 18 de abril de 2013, que dispõe sobre os critérios de repasse e execução do PDDE, em cumprimento ao disposto na Lei 11.947, de 16 de junho de 2009. Brasília, 2013.

BRASIL. Lei nº 13.005, de 25 de junho de 2014. Aprova o Plano Nacional de Educação PNE e dá outras providências. Diário Oficial da União, Brasília, 2014.

PARO, Vitor Henrique. Gestão escolar, democracia e qualidade do ensino. São Paulo, SP: Ática, 2007.

POLO, José Carlos. Autonomia da Gestão Financeira da Escola. In: GIÁGIO, Mônica; RODRIGUES, Maristela (Org.). Guia de Consulta para o Programa de Apoio aos Secretários Municipais de Educação. Brasília: FUNDESCOLA/MEC, 2001.

SÃO PAULO (Município). Lei municipal 10.513/88 (Regulamentada pelos Decretos municipais: nº 26.458/88, nº 28.982/90, nº 33.805/93, nº 40.533/01, nº 43.731/03, nº 48.592/07), que dispõe sobre o regime de adiantamento, a que se referem os artigos 68 e 69 da lei federal nº 4.320/64, e dá outras providências. Diário Oficial Cidade de São Paulo, São Paulo, 2007.

SÃO PAULO (Município). Secretaria Municipal de Educação. Manual de Orientações PDDE. 2010.

SÃO PAULO (Município). Portaria SME nº 1.242, de 11 de fevereiro de 2014, que divulga os valores do PTRF para o ano de 2014. São Paulo, 2014.

VIANA, Mariana Peleje. Gestão dos recursos financeiros descentralizados destinados às escolas públicas de São Paulo: seus montantes, processos participativos e procedimentos legais e administrativos envolvendo sua execução. 2010. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Pedagogia) ‒ Faculdade de Educação, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2010.

VIANA, Mariana Peleje. Recursos financeiros descentralizados para a escola pública: uma política necessária. 2015. Dissertação (Mestrado em Educação) – Faculdade de Educação, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2015.




DOI: https://doi.org/10.17648/fineduca-2236-5907-v7-68638

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Fineduca adota o formato de publicação contínua.

 

Fontes de Indexação:

LATINDEX

 

 

 

Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional.