A SEMIÓTICA DO FUTEBOL TELEVISIVO: NARRATIVAS IMERSIVAS, INTERVALARES E FRAGMENTADAS

Autores

  • Marcio Telles da Silveira Universidade Federal do Rio Grande do Sul
  • Alexandre Rocha da Silva Universidade Federal do Rio Grande do Sul.

DOI:

https://doi.org/10.22456/1982-8918.55831

Palavras-chave:

Televisão. Meios de comunicação de massa. Jornalismo. Esportes

Resumo

O artigo investiga possibilidades de estudo das teletransmissões esportivas a partir de uma moldura teórica advinda das teorias do audiovisual, sobretudo da semiótica. Assim, são identificadas estratégias globais utilizadas pela televisão para enquadrar o esporte dentro de um mundo televisivo. Compõem o corpus onze finais de Copa do Mundo (1970-2010), que são analisadas sincrônica e diacronicamente. Como resultado, foi possível (1) sistematizar procedimentos que se repetem e que formam um código para as teletransmissões; (2) circunscrever a evolução desses mesmos códigos; (3) reconhecer a predominância de narrativas imersivas, intervalares e fragmentadas; e (4) construir um aparato teórico-metodológico para futuras análises.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Marcio Telles da Silveira, Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Doutorando em Comunicação e Informação pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Mestre pela mesma Universidade.

Alexandre Rocha da Silva, Universidade Federal do Rio Grande do Sul.

Pós-doutor pela Universidade de Paris III/Sorbonne Nouvelle. Pesquisador do CNPq. Professor do Programa de Pós-Graduação em Comunicação e Informação da Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Vice-coordenador do Grupo de Pesquisa Semiótica da Comunicação da Sociedade Brasileira de Estudos Interdisciplinares da Comunicação. Coordenador do Diretório CNPq Semiótica e Culturas da Comunicação (GPESC).

Publicado

2015-12-11

Como Citar

SILVEIRA, M. T. da; SILVA, A. R. da. A SEMIÓTICA DO FUTEBOL TELEVISIVO: NARRATIVAS IMERSIVAS, INTERVALARES E FRAGMENTADAS. Movimento, [S. l.], v. 22, n. 1, p. 211–222, 2015. DOI: 10.22456/1982-8918.55831. Disponível em: https://seer.ufrgs.br/index.php/Movimento/article/view/55831. Acesso em: 7 fev. 2023.

Edição

Seção

Artigos Originais