O BRINCAR COMO DIÁLOGO/PERGUNTA E NÃO COMO RESPOSTA À PRÁTICA PEDAGÓGICA

Autores

  • Heloisa dos Santos Simon Universidade Federal de Santa Catarina
  • Elenor Kunz UFSC

DOI:

https://doi.org/10.22456/1982-8918.39749

Palavras-chave:

Movimento. Criança. Imaginação.

Resumo

O presente texto traz uma abordagem de fundamentação pedagógica sobre a relação entre o mundo de movimento da criança e a imaginação, e como essa relação pode ser transpassada para o ensino. Elementos da natureza, atividades com estórias, brincadeiras de faz de conta, atividades de circo e contação de histórias fomentam a liberdade, a vivacidade e a riqueza da imaginação no brincar-e-se-movimentar. Assim focamos no que é primordial, nos elementos primários que nos levam ao Ser do ser humano, à sua consciência, ao outro, à arte, à natureza e à vida.

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Heloisa dos Santos Simon, Universidade Federal de Santa Catarina

Mestre em Educação Física pelo Programa de Pós-Graduação em Educação Física da UFSC. Professora de Educação Física na Educação Infantil.

Elenor Kunz, UFSC

Possui doutorado em Instituto de Ciências do Esporte pela Gottfried Wilhelm Leibniz Universität Hannover(1987) e pós-doutorado pela Gottfried Wilhelm Leibniz Universität Hannover(1996). Atualmente é PROFESSOR TITULAR da Universidade Federal de Santa Catarina, Membro de corpo editorial da Motrivivência (0103-4111), Membro de corpo editorial da Pensar a prática (1415-4676), Revisor de periódico da Revista Brasileira de Ciências do Esporte (0101-3289), Revisor de periódico da Revista Brasileira de Educação Física e Esporte (1807-5509), Revisor de periódico do Movimento (Porto Alegre) (0104-754X), Revisor de periódico da Motrivivência (0103-4111), Membro de corpo editorial do Movimento (Porto Alegre) (0104-754X) e Professor da Universidade Federal de Santa Catarina. Tem experiência na área de Educação Física, com ênfase em Ciências do Esporte.

Downloads

Publicado

2013-12-06

Como Citar

SIMON, H. dos S.; KUNZ, E. O BRINCAR COMO DIÁLOGO/PERGUNTA E NÃO COMO RESPOSTA À PRÁTICA PEDAGÓGICA. Movimento, [S. l.], v. 20, n. 1, p. 375–394, 2013. DOI: 10.22456/1982-8918.39749. Disponível em: https://seer.ufrgs.br/index.php/Movimento/article/view/39749. Acesso em: 19 ago. 2022.

Edição

Seção

Ensaios