MULHERES DA ROCINHA: RELAÇÕES ENTRE CORPO, IDENTIDADE E TRABALHO

Autores

  • Sebastião Josué Votre Universidade Gama Filho
  • Joana Angélica Vigne Universidade Gama Filho
  • Yara Lacerda Universidade Gama Filho

DOI:

https://doi.org/10.22456/1982-8918.2550

Palavras-chave:

Mulheres. Indústria da beleza. Identidade de gênero. Mercado de trabalho.

Resumo

O objetivo deste estudo com mulheres da Rocinha, que praticam musculação de forma regular e assídua em academia local, é analisar como se representam e como agem para se manterem nos espaços sociais e de trabalho, com valorização da aparência e da capacitação do corpo. A hipótese é que as mulheres estão conscientes dos desafios e dificuldades com que se defrontam para empoderar-se. A observação participante de 17 mulheres de 16 a 34 anos, em academia de musculação e a análise de entrevistas semi-estruturadas permitiram-nos constatar que as mulheres negociam com o poder, usando as energias para crescer, desenvolvendo o embelezamento do corpo como estratégia para fortalecer o eu e para firmar-se no emprego. Representam a musculação como recurso para melhorar a qualidade de vida e o bem estar físico e mental.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Sebastião Josué Votre, Universidade Gama Filho

Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Educação Física

Joana Angélica Vigne, Universidade Gama Filho

Programa de Pós-Graduação em Educação Física

Yara Lacerda, Universidade Gama Filho

Departamento de Educação Física

Publicado

2008-11-14

Como Citar

VOTRE, S. J.; VIGNE, J. A.; LACERDA, Y. MULHERES DA ROCINHA: RELAÇÕES ENTRE CORPO, IDENTIDADE E TRABALHO. Movimento, [S. l.], v. 14, n. 3, p. 53–69, 2008. DOI: 10.22456/1982-8918.2550. Disponível em: https://seer.ufrgs.br/index.php/Movimento/article/view/2550. Acesso em: 26 jun. 2022.

Edição

Seção

Artigos Originais