ENSINO DAS LUTAS: DOS PRINCÍPIOS CONDICIONAIS AOS GRUPOS SITUACIONAIS

Mariana Simões Pimentel Gomes, Marcio Pereira Morato, Edison Duarte, José Júlio Gavião de Almeida

Resumo


Este estudo buscou classificar e identificar princípios comuns no ensino das Lutas. Para tal foram realizadas entrevistas semi-estruturadas com professores e mestres em diferentes modalidades. Após a Análise de Conteúdo dos dados, percebemos que as Lutas dispõem de princípios condicionais (contato proposital, fusão ataque/defesa, oponente/alvo, imprevisibilidade e regras) determinantes para a compreensão e leitura de sua dinâmica interna. Desta forma, foi possível classificar as Lutas com base em denominadores comuns transferíveis (grupos situacionais), passíveis de serem ensinados antes da prática especializada, visando o desenvolvimento global do aluno e não apenas a repetição descontextualizada de gestos técnicos.


Palavras-chave


Artes marciais: educação. Esportes



DOI: https://doi.org/10.22456/1982-8918.9743



 

 


Movimento
Escola de Educação Física, Fisioterapia e Dança | Universidade Federal do Rio Grande do Sul | UFRGS
Endereço: Rua Felizardo, 750, Jardim Botânico, Porto Alegre, Rio Grande do Sul, Brasil, CEP 90690-200
E-mail: movimento@ufrgs.br
 

Bases de Dados Indexadoras

 

                                      

 

Apoio

 

        

 

Licença de cópias e declaração de boas práticas de avaliação

 

 Licença Creative CommonsSan Francisco Declaration on Research Assessment