CORPO E IDENTIDADE: UM OLHAR SOBRE MULHERES PRATICANTES DE BODYBUILDING

Autores

  • Amanda Mello Andrade de Araújo Colégio Pedro II
  • Alexandre Fernandez Vaz UFSC/CNPq
  • Jaison José Bassani UFSC

DOI:

https://doi.org/10.22456/1982-8918.76213

Palavras-chave:

Aparência corporal. Treinamento de resistência. Mulheres. Regime alimentar.

Resumo

O estudo tratou de investigar a relação entre a modificação corporal e o processo de construção identitária em mulheres praticantes de bodybuilding na cidade de Brasília/DF. Para isso, foram entrevistadas sete mulheres que aderem ao treinamento intenso de musculação e dieta alimentar restrita, sendo seis delas atletas e apenas uma não atleta. Os resultados, apresentados e discutidos sob a forma de eixos de análise, revelam: 1) modos ascéticos particulares como as entrevistadas operam com restrições (alimentares e de treinamentos musculares) a que estão submetidas em busca do corpo almejado; 2) que a forma de operar e dar sentido ao corpo tanto para as atletas quanto para a veterana indica construção de identidades distintas.

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Amanda Mello Andrade de Araújo, Colégio Pedro II

Mestre em Educação

Jaison José Bassani, UFSC

PPGE/UFSC

Downloads

Publicado

2018-09-30

Como Citar

ARAÚJO, A. M. A. de; VAZ, A. F.; BASSANI, J. J. CORPO E IDENTIDADE: UM OLHAR SOBRE MULHERES PRATICANTES DE BODYBUILDING. Movimento, [S. l.], v. 24, n. 3, p. 961–972, 2018. DOI: 10.22456/1982-8918.76213. Disponível em: https://seer.ufrgs.br/index.php/Movimento/article/view/76213. Acesso em: 30 jun. 2022.

Edição

Seção

Artigos Originais