OS “PESOS” DE SER OBESO: TRAÇOS FASCISTAS NO IDEÁRIO DE SAÚDE CONTEMPORÂNEO

Autores

  • Alexandre Palma de Oliveira Universidade Federal do Rio de Janeiro
  • Monique Assis Universidade Gama Filho
  • Murilo Vilaça Universidade Federal do Rio de Janeiro
  • Marcelo Nunes de Almeida Universidade Gama Filho

DOI:

https://doi.org/10.22456/1982-8918.29089

Palavras-chave:

obesidade. estilo de vida sedentário. promoção da saúde

Resumo

A obesidade e o sedentarismo têm sido considerados dois grandes vilões da Saúde Pública. O objetivo do estudo é examinar a ideia em torno da relação entre saúde, obesidade e exercício. O eixo analítico é um texto que congrega pontos-chave dessa ideia, defendendo uma polêmica sobretaxação dos obesos e sedentários. Analisamos o texto pela Teoria da Análise do Discurso detectando e explorando três categorias discursivas: a) culpabilização; b) reificação; e c) punição. Os discursos partem da concepção de que ser obeso é uma questão de escolha para justificar a perigosa proposta de responsabilizá-lo, culpá-lo e puni-lo inclusive tributariamente.

 


Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Alexandre Palma de Oliveira, Universidade Federal do Rio de Janeiro

Doutor em Saúde Pública pela Escola Nacional de Saúde Pública da Fundação Oswaldo Cruz

Docente do Programa de Pós-graduação Stricto Sensu em Educação Física da Escola de Educação Física e Desportos da Universidade Federal do Rio de Janeiro

Monique Assis, Universidade Gama Filho

Doutora em Educação Física pela Universidade Gama Filho

Docente do Programa de Pós-graduação Stricto Sensu em Ciências do Exercício e do Esporte da Universidade Gama Filho

Murilo Vilaça, Universidade Federal do Rio de Janeiro

Doutorando em Filosofia pela Universidade Federal do Rio de Janeiro e Doutorando em Educação pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro

Docente do curso de Pós-graduação Lato Sensu em Pedagogia Crítica da Educação Física da Universidade Federal do Rio de Janeiro

Marcelo Nunes de Almeida, Universidade Gama Filho

Doutorando em Educação Física pela Universidade Gama Filho

Docente do curso de Educação Física da Universidade Gama Filho

Downloads

Publicado

2012-10-20

Como Citar

OLIVEIRA, A. P. de; ASSIS, M.; VILAÇA, M.; ALMEIDA, M. N. de. OS “PESOS” DE SER OBESO: TRAÇOS FASCISTAS NO IDEÁRIO DE SAÚDE CONTEMPORÂNEO. Movimento, [S. l.], v. 18, n. 4, p. 99–119, 2012. DOI: 10.22456/1982-8918.29089. Disponível em: https://seer.ufrgs.br/index.php/Movimento/article/view/29089. Acesso em: 8 dez. 2022.

Edição

Seção

Artigos Originais

Artigos Semelhantes

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.