MEMÓRIAS E SIGNIFICADOS DE DANÇAR POR MUITOS ANOS: O QUE NOS DIZEM IDOSOS QUE DANÇARAM AO LONGO DA VIDA

Rute Estanislava Tolocka, Lia Carla Gordon Leme, Valquiria Maria Tolocka Gomes da Silva

Resumo


 Uma das atividades mais procuradas por idosos é a dança, mas o significado de dançar nessa idade ainda precisa ser desvelado. O objetivo deste estudo foi identificar memórias e significados que a prática da dança ao longo da vida trouxe a seus praticantes. Entrevistamos idosos que dançam em média há 57 anos. Para construir as memórias utilizamos a técnica da História Oral e para extrair significados de dançar utilizamos os pressupostos da Teoria Bioecológica do Desenvolvimento Humano. Os temas que emergiram das entrevistas foram: dança como hábito de vida; caminhos percorridos para aprender a dançar; motivos relacionados à prática da dança e significados de dançar. Eles começaram a dançar pela influência de familiares e amigos, continuam a dançar e preferem evocar apenas boas lembranças. Dançando modificaram e foram modificados pelos diferentes ambientes. Dançar constituiu-se em possibilidade de resiliência, que alimenta a própria possibilidade de dançar e acrescenta vontade de viver.

 

 


Palavras-chave


Dança. Idoso. Exercício. Memória.

Texto completo:

PDF-POR


DOI: https://doi.org/10.22456/1982-8918.74922

Direitos autorais 2019 Movimento (ESEFID/UFRGS)




Movimento

Escola de Educação Física, Fisioterapia e Dança | Universidade Federal do Rio Grande do Sul | UFRGS
Endereço: Rua Felizardo, 750, Jardim Botânico, Porto Alegre, Rio Grande do Sul, Brasil, CEP 90690-200
E-mail: movimento@ufrgs.br
 

Bases de Dados Indexadoras

 

                            

 

Apoio

 

        

 

Licença de cópias e declaração de boas práticas de avaliação

 

 Licença Creative CommonsSan Francisco Declaration on Research Assessment