A contribuição da genealogia acadêmica para a construção de indicadores bibliométricos

Autores

  • Vanessa Paula Alves de Moura Universidade Federal de São Carlos http://orcid.org/0000-0002-0239-8919
  • Leandro Innocentini Lopes de Faria Universidade Federal de São Carlos

DOI:

https://doi.org/10.19132/1808-5245271.336-360

Palavras-chave:

Bibliometria. Genealogia acadêmica. Produção científica. Indicadores de ciência e tecnologia. Engenharias II

Resumo

A medição da produção científica por meio da bibliometria, que permite avaliar o desempenho dos pesquisadores e os impactos de suas produções, é objeto de estudo muito explorado na Ciência da Informação. A genealogia acadêmica, por outro lado, permite estudar a herança intelectual que se resulta dos relacionamentos entre orientadores e seus alunos. Estudos recentes no Brasil sobre a genealogia acadêmica utilizam como base de dados a Plataforma Lattes, extraindo informações que podem ser utilizadas para diversas análises. Diante disso, este trabalho tem por objetivo investigar se a aplicação da genealogia acadêmica e da análise bibliométrica em conjunto pode trazer informações complementares sobre a atuação de um programa de pós-graduação na formação de pesquisadores e produção científica, realizando um estudo de caso baseado no Programa de Pós-Graduação em Engenharia de Materiais da Universidade Federal de São Carlos. A metodologia utilizada baseia-se no método de identificação de grafos de genealogia acadêmica em conjunto com as ferramentas SyncLattes, VantagePoint e Microsoft Excel. Como resultados são apresentados indicadores bibliométricos sobre o programa e seus descendentes, que podem contribuir na elaboração de estratégias para a autoavaliação e o desempenho dos programas de pós-graduação.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Vanessa Paula Alves de Moura, Universidade Federal de São Carlos

Mestranda no Programa de Pós-Graduação em Ciência da Informação

Leandro Innocentini Lopes de Faria, Universidade Federal de São Carlos

Professor Doutor Adjunto da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar) desde 2002, vinculado ao Departamento de Ciência da Informação.

Referências

ANDRAOS, J. Scientific genealogies of physical and mechanistic organic chemists. CanadianJournal of Chemistry, [S.l.], v. 83, n. 9, p. 1400-1414, 2005.

ARAÚJO, C. A. À. A ciência como forma de conhecimento. Ciências & Cognição, Belo Horizonte, v. 8, n.11, p. 127-142, 2006.

BIBLIOTECA DA FEUP. Publicação Científica: Contextos e evolução.Guias Temáticos de Apoio. Porto: Faculdade de Engenharia Universidade do Porto, 2019. Disponível em: <https://feup.libguides.com/publicacao-cientifica/contextos>. Acesso em: 17 set. 2019.

CHIBENI, S. S. O que é ciência? Campinas: Departamento de Filosofia da Unicamp, 2019. Disponível em: <https://www.unicamp.br/~chibeni/textosdidaticos/ciencia.pdf>. Acesso em: 17 set. 2019.

CNPq. O que é a Plataforma Lattes: Sobre a Plataforma. Brasília: CNPq, 2019. Disponível em:<http://memoria.cnpq.br/web/portal-lattes/sobre-a-plataforma>. Acesso em: 2 abr. 2019.

CNPq. Currículo Lattes: Cadastro de Formação Acadêmica/Titulação. Brasília: CNPq, 2019. Disponível em: <http://lattes.cnpq.br/>. Acesso em: 28 mai. 2020.

DAMACENO, R.J.P.; ROSSI, L.; MENA-CHALCO, J.P. Identificação do grafo de genealogia acadêmica de pesquisadores: Uma abordagem baseada na Plataforma Lattes. In: BRAZILIAN SYMPOSIUM ON DATABASES, 32., 2017, Uberlândia.Anais[...]. Uberlândia: SBBD, 2017. p. 76-87.

DAMACENO, R. J. P. et.al. The Brazilian academic genealogy: evidence of advisor–advisee relationships through quantitative analysis. Scientometrics, [S.l.]: v. 119, n. 01, p. 303-333, 2019.

DORES, W. et.al.Building the Brazilian Academic Genealogy Tree.Belo Horizonte: Universidade Federal de Minas Gerais, 2017. Disponível em:https://homepages.dcc.ufmg.br/~fabricio/download/short-tpdl-genealogy_sub.pdf >. Acesso em 01 dez. 2019.

FARIA, L. I. L. de. Prospecção tecnológica em materiais: aumento da eficiência do tratamento bibliométrico. Aplicação na análise de tratamentos de superfície resistentes ao desgaste. 2001.Tese (Doutorado em Ciência e Engenharia de Materiais) - Universidade Federal de São Carlos, São Carlos, 2001.

FRANCO, N. M G. Análise relacional intrainstitucional: redes de coautoria e acoplamento de autores, 2018. 134 f. Dissertação (Mestrado) – Programa de Pós-Graduação em Ciência da Informação, Universidade Federal de São Carlos, São Carlos, 2018.

INSTITUTO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS. Introdução à Análise de Genealogias.Belo Horizonte: Instituto de Ciências Biológicas da Universidade Federal de Minas Gerais, 2019. Disponível em: <https://www2.icb.ufmg.br/grad/genetica/heredogramas.htm>. Acesso em 01 dez. 2019.

LE COADIC, Y.-F. A ciência da informação. Brasília,Briquet de Lemos, 1996.

LIMA, W. T. A. Avaliação de egressos da pós-graduação estrito senso: Política de monitoramento de egressos internacionais. [S.l.]: Scielo, 2015.Disponível em: <https://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0100-69912015000800026&script=sci_arttext&tlng=pt>. Acesso em 01 dez. 2019.

MACIEL, R. S. A Plataforma Lattes como recurso estratégico para a gestãodos Programas de Pós-Graduação: uma análise baseada na produção de artigos científicos, 2018. 183 p.Dissertação (Mestrado) – Programa de Pós-Graduação emCiência da Informação, Universidade Federal de São Carlos, São Carlos, 2018.

MATIAS, M. S. O.Base referencial para o povoamento de repositórios institucionais: coleta automatizada de metadados da Plataforma Lattes. 2015. 94 f. Dissertação (Mestrado) – Programa de Pós-Graduação em Gestão de Organizações e Sistemas Públicos, Universidade Federal de São Carlos, São Carlos, 2015.

MOREIRA, T. H. et. al. Árvores genealógicas acadêmicas como estratégia para análises de processo de orientação. Pesquisa Brasileira em Ciência da Informação eBiblioteconomia, João Pessoa, v. 13, n. 2, p. 246-254, 2018.

OLIVEIRA, C. A. et. al. Genealogia acadêmica dos pesquisadores da área de Ciência da Informação: um estudo sobre os bolsistas de produtividade em pesquisa (PQ-CNPq). Em Questão, Porto Alegre, v.24, n. edição especial 6. p. 278-298, 2018.

PLATAFORMA SUCUPIRA. Áreas de Avaliação/Conhecimento. Disponível em:https://sucupira.capes.gov.br/sucupira/public/consultas/coleta/programa/quantitativos/quantitativoIes.jsf?areaAvaliacao=12&areaConhecimento=30300002. Acesso em: 01 fev. 2020.

PLATAFORMA SUCUPIRA. Qualis Periódicos. Disponível em: https://sucupira.capes.gov.br/sucupira/public/index.jsf.Acesso em: 01 fev. 2020.

RIBEIRO, R. J. Os critérios da avaliação. Brasília, CAPES, Brasília, 2007. Disponível em: https://www1.capes.gov.br/images/stories/download/artigos/Artigo_10_08_07.pdf . Acesso em: 24 abr. 2019.

ROSA, F. ; BARROS, S. Comunicação científica: reflexões preliminares para o GT “relevância dos livros acadêmicos na comunicação da pesquisa. [S.l.]: Scielo, 2018. Disponível em:<https://www.scielo20.org/redescielo/wp-content/uploads/sites/2/2018/07/ROSA-F_-BARROSS.-Comunicacao-Cientifica.pdf>. Acesso em: 2 abr. 2019.

ROSSI, L.; MENA-CHALCO, J. P. Caracterização de árvores de genealogia acadêmica por meio de métricas em grafos. In: BRAZILIAN WORKSHOP ON SOCIAL NETWORK ANALYSIS AND MINING (BRASNAM), 3. , 2014, Brasília. Anais [...]. Porto Alegre: Sociedade Brasileira de Computação, 2014 . p.21-32.

ROSSI, L.; DAMACENO, R.; MENA-CHALCO, J. Genealogia acadêmica: Um novo olhar sobre impacto acadêmico de pesquisadores. Revista Parcerias Estratégicas, Brasília, v.23. n.47, p. 197-212, 2018.

SAVIGNANO, V. Um aniversário da Engenharia de Materiais no Brasil: 40 anos do DEMa da UFSCar. BrazilianMaterialsReserch Society, [S.l.], 2012. Disponível em: <https://www.sbpmat.org.br/pt/um-aniversario-da-engenharia-de-materiais-no-brasil-40-anos-do-dema-da-ufscar/>. Acesso em: 24 set. 2019.

SILVA, J. L. C.; FREIRE, G. H. A. Um olhar sobre a origem da ciência da informação: indícios embrionários para sua caracterização identitária. Revista Eletrônica de Biblioteconomia e Ciência da Informação,[S.l.], v. 17, n. 33, 2012.

SPINAK, E.; PACKER, A. L. 350 anos de publicação científica: desde o “Journal des Sçavans” e “PhilosophicalTransactions” até o SciELO, [S.l.]: Scielo em Perspectiva, 2015. Disponível em: https://blog.scielo.org/blog/2015/03/05/350-anos-de-publicacao-cientifica-desde-o-journal-des-scavans-e-philosophical-transactions-ate-o-scielo/#.XYE2ei5Kjcs. Acesso em: 13 set. 2019.

SOUZA, L. G. De. Relação entre ciência & pesquisa, enContribuciones a lasCienciasSociales, Texcoco: Eumed, 2011.

SUGIMOTO, C. R. et al. Academic Genealogy as an Indicator of Interdisciplinarity: An Examination of Dissertation Networks in Library and Information Science, Journal of the American Society for Information Science,[S.L], v.62, p. 1808-1828, 2011.

SUGIMOTO, C. R. Beyond bibliometrics. In:Political Geography. London: Massachusetts Institute of Technology, 2014.

UNESCO, C. N. Da. Ciência para a sociedade.Comissão Nacional da Unesco. Disponível em: https://www.unescoportugal.mne.pt/pt/temas/ciencia-para-um-futuro-sustentavel/ciencia-para-a-sociedade. Acesso em: 19 fev. 2020.

VELHO, L. Cuidado com os rankings científicos.Porque deve-se temer as avaliações sobre quem produz mais ciência, e como essas avaliações discriminam o Terceiro Mundo.Agência de Notícias Prometeu, Campinas, 2011. Disponível em: http://www.prometeu.com.br/bb-lea.htm. Acesso em: 13 set. 2019.

Downloads

Publicado

2020-12-22

Como Citar

MOURA, V. P. A. de; FARIA, L. I. L. de. A contribuição da genealogia acadêmica para a construção de indicadores bibliométricos. Em Questão, Porto Alegre, v. 27, n. 1, p. 336–360, 2020. DOI: 10.19132/1808-5245271.336-360. Disponível em: https://seer.ufrgs.br/index.php/EmQuestao/article/view/101444. Acesso em: 23 fev. 2024.

Edição

Seção

Artigo

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)