Sobre a Revista

Foco e Escopo

Em Questão é um periódico científico trimestral, de acesso livre, em formato eletrônico, publicado pelo ós-graduação em Ciência da Informação da Faculdade de Biblioteconomia e Comunicação da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, dirigido a pesquisadores, professores, profissionais e estudantes da Ciência da Informação, e tem como objetivos:

a) difundir a produção científica de pesquisadores de diferentes regiões do País e do exterior;

b) apresentar eventualmente dossiês temáticos, reunindo a contribuição de especialistas nas suas respectivas áreas.

A revista Em Questão aceita originais em português, espanhol ou inglês e publica exclusivamente textos inéditos, que poderão fazer parte das seguintes categorias:

  • artigo - apresenta temas ou abordagens científicas originais (relatos de pesquisa, estudos de caso), contribuindo para ampliar o conhecimento até então estabelecido na área; ou de revisão (com análise e discussão de ideias já publicadas, além de métodos, técnicas, processos e resultados);
  • entrevista - apresenta reflexões de pesquisadores e profissionais de destaque na Ciência da Informação;
  • resenha - apreciação e análise crítica de obras recém-lançadas.

 

Cobertura temática codificada CNPq:

6.00.00.00-7 Ciências Sociais Aplicadas
6.07.00.00-9 Ciência da Informação
6.07.01.00-5 Teoria da informação
6.07.02.00-1 Biblioteconomia
6.07.03.00-8 Arquivologia
6.08.00.00-3 Museologia

Processo de Avaliação pelos Pares

Os manuscritos enviados à revista Em Questão devem ser inéditos. Não serão aceitos textos previamente publicados, inclusive em anais de eventos e servidores de preprints. Não serão aceitos textos que estão em avaliação simultânea em outro periódico. Plágio, incluindo a publicação de trechos do próprio autor sem a adequada citação, não são permitidos. A revista utiliza software para controle de plágio.

A Revista observa os seguintes critérios:

a) prioridade a textos inéditos decorrentes de pesquisas concluídas. Não serão aceitos textos previamente publicados, inclusive em anais de eventos;

b) prioridade à descoberta científica e à invenção metodológica ou conceitual;

c) prioridade aos autores com maior titulação;

d) prioridade a textos de diferentes regiões do País e do exterior;

e) possível impacto sobre a Ciência da Informação.

Os manuscritos são inicialmente revisados pelo editor. Nesse estágio, o texto pode ser rejeitado por não estar de acordo com as diretrizes, normas e template da revista, e por não atender os critérios prioritários da Em Questão. Assim, são devolvidos aos autores os artigos que: (1) configuram-se como relatos de experiência ou tenham caráter prescritivo; (2) configuram-se unicamente como revisão bibliográfica; (3) apresentam-se sob a forma de projeto ou relatório de pesquisa; (4) não apresentem consistência teórica ou metodológica na pesquisa descrita; (5) são meramente descritivos e não apresentam uma análise suficientemente aprofundada da temática que se propõe a discutir; (6) não têm a área da Ciência da Informação como eixo central da discussão; (7) possuem muitos erros de redação, bem como de aplicação das normas da ABNT e /ou não estão formatados no template da revista; (8) não apresentam resultados, formulações ou  conclusões que apontem avanços para a temática proposta. Tais trabalhos serão devolvidos aos autores com a sugestão de que sejam reformulados, para efeito de nova submissão e avaliação pela revista Em Questão, noutra oportunidade. Esse procedimento inicial é rápido e evita que os autores esperem desnecessariamente pelo parecer.

Manuscritos que não são rejeitados inicialmente serão apreciados por meio de avaliação cega por dois membros do Conselho Editorial ou consultores ad hoc, dentro de suas especialidades. Caso necessário, o texto poderá ser submetido à avaliação de um terceiro parecerista. Baseado nos pareceres desses revisores o editor decide acerca da publicação do manuscrito. O resultado dos pareceres é comunicado aos autores com a garantia de anonimato dos avaliadores. A média de tempo entre a submissão e a primeira resposta é de 12 semanas.

 

A Comissão Editorial reserva-se ao direito de:

- solicitar alterações nos textos submetidos, quando se fizer necessária alguma correção ou modificação de ordem temática e/ou formal; e

- proceder alterações de ordem formal, ortográfica e gramatical, realizadas por revisores especializados.

A Comissão Editorial reserva-se o direito de encaminhar convites a especialistas com evidente competência acadêmica na Ciência da Informação para possível publicação de sua produção intelectual na revista Em Questão. Neste caso, os textos passam pelos procedimentos de revisão editorial.

Excepcionalmente, serão aceitos trabalhos traduzidos de textos que já tenham sido publicados em periódicos estrangeiros. Neste caso, os manuscritos serão submetidos ao processo de avaliação.

Os textos não aceitos para publicação na revista Em Questão, arquivados pelo sistema SEER, estão liberados para submissão em outros periódicos.

Periodicidade

A periodicidade da Revista Em Questão é trimestral.

Política de Acesso Livre

A Revista Em Questão oferece acesso livre e imediato ao seu conteúdo, seguindo o princípio de que disponibilizar gratuitamente o conhecimento científico ao público proporciona maior democratização mundial do conhecimento. Tal acesso está associado a um crescimento da leitura e citação dos trabalhos dos autores. Para maiores informações sobre esta abordagem, visite o Public Knowledge Project, que desenvolveu este sistema para melhorar a qualidade acadêmica e pública da pesquisa e que distribui o Open Journal Systems (OJS), assim como outros softwares de apoio ao sistema de publicação de acesso público a fontes acadêmicas.

 

Veja também nossa Declaração de Direito Autoral.

 

Indexadores

A Em Questão está indexada em:

Web of Science Emerging Sources Citation Index | http://webofknowledge.com/

 

1Findr | https://1findr.1science.com/

  

BRAPCI | http://www.brapci.ufpr.br

CLASEhttp://clase.unam.mx

Dialnethttps://dialnet.unirioja.es/

DOAJ http://doaj.org

Google Acadêmicohttps://scholar.google.com

LAPTOC | http://laptoc.library.vanderbilt.edu

 

Latindex | http://www.latindex.unam.mx

ProQuest Library Sciencehttp://www.proquest.com/products-services/libraryscience.html

 

Redalyc | http://www.redalyc.org/

Sumários.org | http://www.sumarios.org

 

Univerciência | http://www.univerciencia.org

 

A Em Questão está presente nos seguintes portais:

BASE  Bielefeld Academic Search Enginehttp://www.base-search.net/

Diadorim - Diretório de Políticas de Acesso Aberto das Revistas Científicas Brasileiras | http://diadorim.ibict.br

Diretório Luso-brasileiro – Repositórios e Revistas de Acesso Aberto | http://diretorio.ibict.br

  

LIvRe – Portal para Periódicos de Acesso Livre | http://portalnuclear.cnen.gov.br/livre

 

OAIster | http://oaister.worldcat.org/

 

Portal de Periódicos da Capes | www.periodicos.capes.gov.br

Portal de Periódicos da UFRGS | http://www.ufrgs.br/periodicos

SHERPA/RoMEOhttp://www.sherpa.ac.uk/romeo

ROAD - Directory of Open Access Scholarly Resourceshttp://road.issn.org

 

Diretrizes éticas

A revista Em Questão publica manuscritos originais que apresentem resultados de pesquisa e aprofundem discussões acadêmicas. A revista se reserva o direito de publicar manuscritos científicos e imparciais, que não agridam qualquer posicionamento político/ideológico, étnico/racial, religioso ou ambiental.

O ato de publicar envolve muitas partes, cada uma das quais desempenha um papel importante na consecução desses objetivos. Portanto, o autor, o editor e Comissão Editorial da revista, e os revisores têm responsabilidades para manter boas práticas éticas.


Responsabilidades do autor

Plágio não é permitido, incluindo a publicação de trechos do próprio autor sem a adequada citação. Os manuscritos submetidos à revista Em Questão são verificados quanto à originalidade em programa de detecção de plágio antes de passar pela avaliação pelos pares. A revista Em Questão considera uma prática antiética submeter o artigo em mais de uma revista, assim como publicá-lo em mais de uma revista. Para submeter um manuscrito para a Em Questão, o autor deve confirmar que o manuscrito submetido não está sendo considerado ou já aceito para publicação em outra publicação. Da mesma forma, não é permitido enviar o mesmo manuscrito para outra revista enquanto está em avaliação na Em Questão. A liberação para envio para outras publicações é dada de maneira expressa e ocorre apenas na recusa do manuscrito. No caso em que partes do conteúdo se sobrepõem ao conteúdo publicado ou enviado, deve-se reconhecer e citar essas fontes. Além disso, o autor é responsável por fornecer ao editor uma cópia de qualquer manuscrito submetido que possa conter conteúdo sobreposto ou estreitamente relacionado.

Mencionar a aprovação por Comitê de Ética para projetos que contemplem metodologias que envolvam quaisquer tipos de interação com seres humanos, como entrevistas e observações.

Os autores devem notificar prontamente o editor da revista se um erro significativo em seu manuscrito for identificado, além de cooperar com o editor para publicar errata, retratação ou manifestação de preocupação sobre o documento, quando necessário.

Todos os autores que assinam o manuscrito devem ter colaborado para seu desenvolvimento.

Os nomes dos autores, agradecimentos, informações sobre financiamento, ou quaisquer referências/citações aos autores devem ser retirados da versão do manuscrito para avaliação, objetivando preservar o blind review.

Os autores que submetem manuscritos à avaliação podem ser convidados a participar do processo de revisão por pares da Em Questão.


Responsabilidades do editor e da Comissão Editorial

O/A editor/a é responsável pela avaliação inicial do manuscrito, independente da origem geográfica do autor, posicionamento político/ideológico, crença religiosa, gênero e origem étnica/racial. A avaliação inicial positiva direciona o manuscrito à avaliação por pares.

Baseada nas normas de conduta ética da COPE e Scielo, a Comissão Editorial da revista Em Questão publicará, sempre que necessário, Erratas, Retratações e Manifestações de preocupação sobre artigos publicados. A retratação é um instrumento público para registrar e/ou corrigir problemas de um artigo publicado ou comunicar o seu cancelamento. Errata é o documento que tem como objetivo corrigir erros identificados em um artigo já publicado. A manifestação de preocupação é um de registro de dúvidas sobre um artigo publicado no que diz respeito a má conduta ou plágio, utilizado quando ainda não há evidências conclusivas suficientes para uma retratação.

A Em Questão se arroga o direito de retirar e/ou retratar trabalhos que tenham comprovadamente cometido qualquer tipo de fraude, após a devida comprovação. Infrações éticas serão julgadas pela Comissão Editorial da revista e, se necessário, por membro (s) do Conselho Editorial. A denúncia de infrações éticas deve ser comunicada através do e-mail emquestao@ufrgs.br, por qualquer pessoa a qualquer tempo. Os autores terão oportunidade de responder a qualquer reclamação.

O editor, a Comissão Editorial e o Conselho Editorial são responsáveis por preservar os aspectos éticos da Em Questão, resolvendo quaisquer conflitos com brevidade e transparência, com o objetivo maior de manter a credibilidade da revista.


Responsabilidades dos revisores

Os revisores são responsáveis por contribuir para o processo de tomada de decisão e auxiliar na melhoria da qualidade do artigo publicado, revisando o manuscrito objetivamente, em tempo hábil. Adicionalmente, são responsabilidades dos revisores:

a) manter a confidencialidade de qualquer informação fornecida pelo editor ou autor. Não reter ou copiar conteúdos do manuscrito;

b) alertar o editor para qualquer conteúdo publicado ou enviado que seja substancialmente similar àquele em revisão, sem a adequada citação;

c) estar ciente de quaisquer potenciais conflitos de interesses (financeiros, institucionais, colaborativos ou outros relacionamentos entre o revisor e o autor) e alertar o editor para estes, se necessário, retirando seus serviços para aquele manuscrito.

 

Condutas em casos de suspeita de infração ética

Em casos de suspeita de infrações éticas, quaisquer membros da comunidade acadêmica (autores, leitores, revisores, Comissão Editorial) ou público em geral podem realizar denúncia para a emquestao@ufrgs.br. Denúncias realizadas diretamente para membro da Comissão Editorial ou por outros meios serão registradas através do canal de comunicação formal da revista (endereço eletrônico), meio pelo qual também serão notificadas as resoluções e/ou enviadas as respostas ao denunciante.

As infrações éticas dizem respeito a: publicação duplicada, plágio, fabricação de dados, questões relacionadas à autoria (mudança, autor fantasma e etc.), conflitos de interesse não mencionados, apropriação indevida de ideias ou dados por parecerista e outras questões éticas relacionadas à pesquisa (por exemplo, envolvendo pessoas).

O editor/a (ou membro da Comissão Editorial convidado) seguirá estritamente o fluxo de resolução de conflito da Committee on Publication Ethics (COPE) mais pertinente à situação, a fim de investigar e solucionar a questão. Os fluxos atualmente utilizados pela Em Questão podem ser conferidos aqui.

Sponsors

A Em Questão é uma publicação do Programa de Pós-Graduação em Informação  da Faculdade de Biblioteconomia e Comunicação da Universidade Federal do Rio Grande do Sul - PPGCCIN/UFRGS.

 

Apoio

Pró-reitoria de Pesquisa da Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Programa de Apoio à Edição de Periódicos

Histórico do periódico

A história da revista Em Questão remonta ao ano de 1986, quando foi publicado o primeiro exemplar da Revista de Biblioteconomia & Comunicação, periódico criado experimentalmente pelos alunos da disciplina de Projeto Experimental em Jornalismo II, coordenada pelos professores Rosa Nívea Pedroso e Rubens Constantino Volpe Weine. Segundo Pedroso e Weine (1986), a intenção do primeiro número da revista era permitir a discussão das tendências teóricas das áreas de Biblioteconomia e Comunicação e servir de espaço para a divulgação de estudos e pesquisas de alunos e professores da Faculdade de Biblioteconomia e Comunicação da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (FABICO/UFRGS). Por ser de caráter experimental, não se tinha certeza, no momento da criação do primeiro número, se a permanência do periódico seria viável.

Segundo a professora Rosa Nívea Pedroso (editora da revista até a sétima edição em 1996), a primeira edição teve tanta repercussão que a então diretora da FABICO, professora Lourdes Gregol Fagundes da Silva, decidiu torná-la uma publicação da Faculdade e a desvinculou da disciplina de Projeto Experimental em Jornalismo II. O Conselho Editorial, inicialmente formado por professores da FABICO, teve professores de outras universidades adicionados na terceira edição, em 1988. O reconhecimento científico foi rápido e o ISSN foi conquistado na quarta edição no ano de 1989. A partir desse momento a revista passou a receber textos de diferentes instituições nacionais (PEDROSO, 2000).

Em 1994, a partir da sexta edição, a revista passou a ser patrocinada pelo Programa de Apoio à Editoração de Periódicos da UFRGS. O editorial dessa edição ressalta a importância da manutenção da periodicidade.

A sétima edição da Revista de Biblioteconomia & Comunicação, em 1996, publicou os primeiros textos internacionais da revista e constituiu o Conselho Editorial Internacional.

A publicação da Revista de Biblioteconomia & Comunicação foi interrompida de 1991 a 1993, em 1995 e de 1997 a 1999.

No ano 2000, em comemoração ao aniversário de 30 anos da FABICO, a Revista de Biblioteconomia & Comunicação voltou a ser publicada. Coordenada pela editora, professora Jussara Pereira Santos, a edição comemorativa reuniu contribuições de servidores docentes e técnicos administrativos vinculados à FABICO. O número de contribuições foi significativamente alto, o que deu forças para que os empenhos em prol do periódico fossem renovados. Mesmo assim, a revista não conseguiu manter a periodicidade e só foi novamente publicada em 2003.

O ano de 2003 marcou profundamente a revista da FABICO. O nome passou por uma grande alteração, passando de Revista de Biblioteconomia & Comunicação para Em Questão. Ainda sob o comando da professora Jussara Pereira Santos, a periodicidade passou a ser semestral, e os esforços foram direcionados para a divulgação de estudos nas áreas de Informação e Comunicação e campos adjacentes. Outra importante mudança foi o início da publicação eletrônica, que permitiu à Em Questão aperfeiçoar recursos e priorizar a visibilidade e acesso ágil ao seu conteúdo.

Em 2003, a partir do volume nove, a revista Em Questão foi espaço para publicação dos resumos de teses e dissertações defendidas no Programa de Pós-graduação em Comunicação e Informação da UFRGS (PPGCOM/UFRGS), e ainda teses e dissertações defendidas por servidores docentes e técnicos da FABICO. O volume 10, de 2004, deu inicio a publicação de artigos emanados de trabalhos de conclusão de curso defendidos na FABICO. Com essa iniciativa, a Revista pretendeu, por um pequeno período, democratizar o acesso dos jovens profissionais ao universo da produção científica, estimulando-os à vida acadêmica, além de publicar esses artigos provenientes de trabalhos acadêmicos em caráter de pré-publicação e disponibilizando-os assim que fossem aprovados quanto ao mérito e forma (SANTOS, 2004).

A partir do ano de 2005 a equipe editorial da revista passou a ser coordenada pela professora Cida Golin. Foi nessa época que a Em Questão declarou a vontade de seguir rigorosamente os critérios Qualis da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES), buscando assim o constante aperfeiçoamento e relevância perante a área de interesse (GOLIN, 2005). A nominata dos Conselheiros Científicos cresceu em número e ampliou a abrangência das especialidades.

Desde 2006 o periódico utiliza o Sistema Eletrônico de Editoração de Revistas (SEER), desenvolvido pelo Public Knowledge Project da Universidade British Columbia. E a partir de 2007 inseriram-se na versão 2.0 do sistema todos os seus números (desde 2003). Tal iniciativa foi o reflexo do acompanhamento das inovações tecnológicas no âmbito da divulgação da produção científica recomendadas pelas agências de fomento.  Por meio do SEER o periódico ganhou rapidez e transparência nos procedimentos editoriais, desde a submissão, avaliação, até a publicação online e indexação. A utilização do protocolo OAI-PMH (Open Archives Iniciative – Protocol of Metadata Harvesting) também possibilita o intercâmbio de metadados, ferramentas de apoio à pesquisa, assim como mecanismos para preservação dos conteúdos.

O primeiro número especial da revista foi publicado no ano 2010, em comemoração aos 40 anos da FABICO. Organizada pelo editor, professor Valdir José Morigi, o número “Porto Alegre Imaginada” publicou diversos textos científicos sobre a cidade onde a Em Questão é publicada.

Em 2012, coordenada pelo editor, professor Alexandre Rocha da Silva, a revista Em Questão passou a ser publicada exclusivamente em sua forma eletrônica, objetivando seguir as tendências internacionais para periódicos científicos, otimizar recursos e agilizar a publicação dos conteúdos. Os resultados do trabalho desenvolvido se concretizaram com o conceito Qualis B1 na área de Ciências Sociais Aplicadas no ano de 2012.

Buscando aprimorar a qualidade da revista e alcançar melhores conceitos Qualis (OLIVEIRA; SANTIN; VANZ, 2015) e a indexação em bases de dados nacionais e internacionais, a Comissão Editorial da revista propôs, ao final de 2013, diversas mudanças. Criou-se uma nova identidade visual e o projeto gráfico da revista foi adequado ao meio eletrônico, disponibilizando-se aos autores um template específico para publicação digital (PASSOS; PASSOS; VANZ, 2014). Foi neste ano que a revista foi indexada pela base de dados ProQuest Library Science.

Em continuidade, 2014 também foi um ano chave para a Em Questão: a revista vinculou-se ao Programa de Pós-graduação em Comunicação e Informação (PPGCOM) e passou a publicar somente artigos e resenhas da área da Ciência da Informação. Coordenada pela professora Samile Andrea de Souza Vanz, a Comissão Editorial e equipe dedicou esforços para melhorias na identidade visual e usabilidade da revista Em Questão, além da agilização dos processos de recebimento, avaliação e publicação de textos.

Em 2015 a revista Em Questão criou a seção Online First, onde são publicados os textos aprovados que aguardam o lançamento de um novo fascículo. Tal seção viabiliza maior agilidade no processo de comunicação científica entre a comunidade da Ciência da Informação. Nesse mesmo ano a Em Questão passou a ter periodicidade quadrimestral e teve o Digital Object Identifier (DOI) incorporado aos seus artigos.

A maior visibilidade e acesso aos artigos da Em Questão foi obtida em 2016, quando a revista foi incorporada na coleção Redalyc, a Red de Revistas Cientificas de América Latina y el Caribe, España y Portugal. Os artigos passaram a receber a marcação XML, conforme padrões adotados pela base de dados indexadora. No final deste mesmo ano o Qualis A2 para a área de Comunicação e Informação foi conquistado, configurando um novo patamar no reconhecimento da qualidade da Em Questão.

Em agosto de 2017 a revista passou a ser indexada pelo Google Acadêmico e pela Dialnet, base de dados espanhola de Ciências Sociais e Humanidades. No mesmo período, a fim de atender as novas demandas advindas do reconhecimento e visibilidade alcançados, a revista incorporou em sua equipe uma profissional bibliotecária. O ano foi marcado também pelo lançamento do plano de marketing da revista, que incluiu entre seus produtos, a página da Em Questão no Facebook.

Atenta as discussões sobre ética na publicação científica, a revista Em Questão incorporou em 2018 as Diretrizes Éticas aos Autores, segundo fluxos de decisão e resolução de conflito da Committee on Publication Ethics (COPE). Em dezembro deste mesmo ano a indexação na base de dados Emerging Sources Citation Index, produzida pela Clarivate Analytics, foi conquistada. No ano seguinte, para atender a grande demanda de submissões, a Em Questão ampliou o volume de manuscritos publicados a cada edição, de cerca de 15 para 18 documentos. Essa decisão agiliza a publicação definitiva dos textos aprovados pela revisão por pares, publicados na seção Online First tão logo estejam revisados e diagramados pela equipe. A modalidade de publicação foi reafirmada em 2020, quando a equipe editorial decidiu pela não adesão à publicação continuada (VANZ; SILVEIRA, 2020).

Em 2020 a Em Questão incorporou em seus processos editoriais a Declaração de Autoria e Responsabilidade, documento que deve ser assinado pelos autores e disponibilizado no SEER no momento da submissão do manuscrito. Os artigos passaram a ter registro de sua própria referencia em uma seção “Como citar”, com intuito de facilitar a referenciação pelos leitores.

2021 é um ano que marca a revista Em Questão. São 35 anos de história e o aniversário será celebrado com a participação de diversos autores convidados a enviar relatos e estudos sobre a revista. Esse ano será o marco de uma nova fase da revista, com periodicidade ampliada: serão 4 fascículos, um a cada três meses. A novidade também fica por conta da transferência da responsabilidade pela publicação para o Programa de Pós-Graduação em Ciência da Informação, também sediado na FABICO/UFRGS.

Referências

GOLIN, Cida. Apresentação. Em Questão, Porto Alegre, v. 11, n. 1, 2005.

OLIVEIRA, Caroline; SANTIN, Dirce Maria; VANZ,  Samile Andrea de Souza. Revista Em Questão: uma análise da sua trajetória a partir dos critérios Qualis (2003-2012). Em Questão, Porto Alegre, v. 21, n. 1, p. 8-25, jan/abr. 2015.

PASSOS, Jaire Ederson; PASSOS, Paula Caroline Schifino Jardim; VANZ, Samile Andréa de Souza. Projeto de identidade visual para a revista Em Questão. Em Questão, Porto Alegre, v. 20, n. 2, p. 8-27, jul/dez. 2014.

PEDROSO, Rosa Nívea. Um projeto pedagógico se transforma em um projeto científico internacional: uma pequena história da Revista de Biblioteconomia & Comunicação. Revista de Biblioteconomia & Comunicação, Porto Alegre, v. 8, p. 291-292, jan./dez. 2000.

SANTOS, Jussara Pereira. Editorial. Em Questão, Porto Alegre, v. 10, n. 1, 2004.

VANZ, Samile Andréa de Souza Vanz; SILVEIRA, Lúcia da. Publicação continuada: algumas reflexões. Em Questão, Porto Alegre, v. 26, n. 1, p. 12-16, jan/abr. 2020.