Mutações da Face Social do Estado pela Emenda Constitucional 95 e seus Efeitos sobre as Políticas Educacionais

Maria Vieira Silva, Ana Júlia Eugênio, Helen Corrêa Solis Neves

Resumo


A Emenda Constitucional (EC) n. 95/2016, que Altera o Ato das Disposições Constitucionais Transitórias para instituir o Novo Regime Fiscal, provocará impactos substanciais no financiamento de políticas sociais brasileiras, no tempo presente. Problematizaremos a legitimidade da referida Emenda em relação aos dispositivos constitucionais de legalidade e razoabilidade presentes no ordenamento jurídico brasileiro, mediante uma pesquisa de natureza bibliográfica e documental. A análise dos documentos pautou-se no conteúdo das sete Ações Diretas de Inconstitucionalidade (ADI) ajuizadas no Supremo Tribunal Federal (STF), colocando em relevo os argumentos que sustentam a tese da inconstitucionalidade da Emenda, como contributos para fundamentar interpretações acerca do porvindouro comportamento face às ADI’s protocoladas naquela instância. Serão abordados ainda os efeitos nocivos da EC nas metas do Plano Nacional de Educação, sobretudo aquelas que afetam diretamente o financiamento da educação.


Palavras-chave


Emenda Constitucional n. 95/2016. Financiamento da Educação. Plano Nacional de Educação.

Texto completo:

PDF

Referências


ADI questiona alteração de gratificação e devolução de funcionários de prisões no PR. Supremo Tribunal Federal, Brasília, 01 dez. 2017.

AFONSO, A. J. Protagonismos Instáveis dos Princípios de Regulação e Interfaces Público/Privado em Educação. Educação & Sociedade, Campinas, v. 31, n. 113, p. 1137-1156, out./dez. 2010.

AMARAL, N. C. Com a PEC 241/55 (EC 95) haverá prioridade para cumprir as metas do PNE (2014-2024)? Revista Brasileira de Educação, Rio de Janeiro, v. 22 n. 71, 2017.

BRASIL. Palácio do Planalto. Constituição da República Federativa do Brasil de 1988. Diário Oficial da União, Brasília, 1988. Disponível em: . Acesso em: 19 jun. 2018.

CANOTILHO, J. J. G. Constituição dirigente e vinculação do legislador: contributo para a compreensão das normas constitucionais programáticas. Reimpressão. Coimbra: Coimbra Editora, 1994. p. 169-170.

FINEDUCA. Associação Nacional de Financiamento da Educação. Nota técnica Fineduca e Campanha: a aprovação da PEC 241 significa estrangular a educação pública brasileira e tornar letra morta o Plano Nacional de educação 2014-2014. São Paulo, 2016. Disponível em: . Acesso em: 06 maio 2017.

GRAMSCI, A. Cadernos do cárcere: Maquiavel, notas sobre o Estado e a política. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2000. v. 3.

HOFLING, E. Estado e políticas (públicas) sociais. Cadernos Cedes, Campinas, ano XXI, n. 55, nov. 2001.

MARX, K. Crítica da filosofia do direito de Hegel. Tradução de Rubens Enderle e Leonardo de Deus. Supervisão e notas Marcelo Backes. 2. ed. revista. São Paulo: Boitempo, 2010.

MEIRELLES, H. Proposta de Emenda à Constituição. Brasília, 2016. Disponível em: . Acesso em: 12 jun. 2016.

OLIVEIRA, E. Parecer nº 920, de 2016-PLEN. Brasília, 2016.

PERONDI, D. Proposta de Emenda à Constituição nº 241-a, de 2016. Câmara dos Deputados. Comissão Especial destinada a proferir parecer à Proposta de Emenda à Constituição nº 241-A, de 2016, do Poder Executivo, que “altera o Ato das Disposições Constitucionais Transitórias, para instituir o Novo Regime Fiscal”. Diário Oficial da União, Brasília, 2016. Disponível em:

dteor=1496691&filename=Tramitacao-PEC+241/2016>. Acesso em: 12 jun. 2019.

SANTOS, B. S. A gramática do tempo: para uma nova cultura política. Porto: Afrontamento, 2006.

SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL. Ação Direta de Inconstitucionalidade (Med. Liminar). 5633. Brasília, 2016. Disponível em . Acesso em: 08 maio 2019.

SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL. Ação Direta de Inconstitucionalidade (Med. Liminar). 5643. Brasília, 2017a. Disponível em: . Acesso em: 10 maio 2019.

SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL. Ação Direta de Inconstitucionalidade (Med. Liminar). 5658. Brasília, 2017b. Disponível em: . Acesso em: 10 maio 2019.

SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL. Ação Direta de Inconstitucionalidade (Med. Liminar). 5680. Brasília, 2017c. Disponível em: . Acesso em: 10 maio 2019.

SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL. Ação Direta de Inconstitucionalidade (Med. Liminar). 5715. Brasília, 2017d. Disponível em: . Acesso em: 10 maio 2019.

SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL. Ação Direta de Inconstitucionalidade (med. liminar). 5734. Brasília, 2017e. Disponível em: . Acesso em: 10 maio 2019.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Fineduca adota o formato de publicação contínua.

 

Fontes de Indexação:

LATINDEX

 

 

 

Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional.