Um Modelo de inovação bottom up: Museu de Favela (MUF)

Natália Nakano, Maria José Vicentini Jorente

Resumo


Este artigo tem como objetivo apresentar, descrever e discutir o modelo de inovação do primeiro museu territorial ao ar livre, concebido em uma favela no Rio de Janeiro, o Museu de Favela (MUF). Nele são introduzidos os conceitos de favela, e diferenciados museu tradicional e os ecomuseus, a fim de contextualizar o universo do MUF. Discute-se o conceito de coleção de um museu territorial ao ar livre e como se dá o trabalho de curadoria nesse contexto, bem como os tipos de interação possíveis com a diversidade de indivíduos atendidos por um museu como o MUF. Discute-se ainda o papel dessa nova tipologia museológica na sociedade, a partir de entidades criadas pela inovação do tipo bottom up realizada pela iniciativa do MUF dentro da nova museologia de ação. Conclui-se com considerações a respeito da mudança de foco do papel desempenhado pelo MUF como agente de desenvolvimento social e cultural.


Palavras-chave


Ecomuseu; Inovação; Nova Museologia

Texto completo:

RESUMO PDF




Em Questão | ISSN 1808-5245 | EQ no Facebook | EQ no Google Scholar

Classificação Qualis: A2 - Comunicação e Informação; B2 - Ciências Ambientais; B3 - Administração, Ciências Contábeis e Turismo; B4 - Sociologia; B5 - Engenharias I.

Programa de Pós-graduação em Comunicação  | Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Rua Ramiro Barcelos, 2705, sala 519 | CEP 90035-007 | Porto Alegre, RS, Brasil | Fone: (51) 3308 2141| E-mail: emquestao @ufrgs.br 

Membro da Associação Brasileira de Editores Científicos 

Signatária do San Francisco Declaration on Research Assessment (DORA)