Tratamento Medicamentoso da Hiperglicemia no Diabetes Melito Tipo 2

Autores

  • Letícia Schwerz Weinert UFRGS
  • Eduardo Guimarães Camargo Programa de Pós-Graduação em Ciências Médicas: Endocrinologia
  • Sandra Pinho Silveiro Universidade Federal do Rio Grande do Sul, RS

Palavras-chave:

metformina, sulfonilureia, hipoglicemiantes orais, insulina

Resumo

O diabetes melito tipo 2 (DM2) decorre de alteração na ação e secreção de insulina. A longo prazo, a elevação da glicemia promove dano microvascular, neuropatia e dano macrovascular, com consequente aumento da morbi-mortalidade destes pacientes. Nas últimas décadas, diversos ensaios clínicos clássicos demonstraram que intervenções terapêuticas específicas para corrigir a hiperglicemia e hipertensão arterial são capazes de prevenir ou retardar o avanço das complicações crônicas. Neste sentido, tratamento efetivo e da forma mais precoce possível deve ser oferecido a todos os pacientes com DM2. Fármacos antiobesidade e agentes orais, como a metformina, sulfonilureias, glinidas, tiazolidinedionas, inibidores da alfa-glicosidase, e os mais recentes fármacos incretinomiméticos e amilinomiméticos são apresentados nessa revisão, nos aspectos de mecanismos de ação, efeitos colaterais e contraindicações.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Sandra Pinho Silveiro, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, RS

Downloads

Publicado

2011-01-03

Como Citar

1.
Weinert LS, Camargo EG, Silveiro SP. Tratamento Medicamentoso da Hiperglicemia no Diabetes Melito Tipo 2. Clin Biomed Res [Internet]. 3º de janeiro de 2011 [citado 2º de dezembro de 2022];30(4). Disponível em: https://seer.ufrgs.br/index.php/hcpa/article/view/17690

Edição

Seção

Artigos de Revisão

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)

1 2 3 4 > >>