Tratamento da Hipertensão Arterial no Diabetes Melito

Autores

  • Luciana Loss Reck
  • Sandra Pinho Silveiro Universidade Federal do Rio Grande do Sul
  • Cristiane Bauermann Leitão Hospital de Clínicas de Porto Alegre

Palavras-chave:

Diabetes Melito, Hipertensão arterial sistêmica

Resumo

A associação de hipertensão arterial sistêmica (HAS) e diabetes melito (DM) é bastante comum, acometendo mais de 60% dos pacientes com DM tipo 2. Os benefícios do tratamento da HAS nesses pacientes são bem definidos, entretanto há controvérsia em relação a qual o alvo de pressão a ser atingido nesses pacientes com o tratamento. O esquema terapêutico a ser utilizado deve levar em consideração não só o efeito dos medicamentes sobre a pressão arterial, mas também seus efeitos em mortalidade e complicações do DM. Na maior parte das recomendações nacionais e internacionais, os inibidores da enzima conversora da angiotensina são considerados drogas de primeira linha no tratamento desses pacientes, devido a seu efeito benéfico sobre a albuminúria, mas se discute o uso de diuréticos tiazídicos como terapia inicial, da mesma maneira que na população sem DM. Nessa revisão abordaremos as evidências em relação aos benefícios do tratamento da HAS em pacientes com DM, o alvo de pressão a ser atingido com esse tratamento e as vantagens e riscos do uso das diferentes classes de antihipertensivos nessa população

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2011-01-25

Como Citar

1.
Reck LL, Silveiro SP, Leitão CB. Tratamento da Hipertensão Arterial no Diabetes Melito. Clin Biomed Res [Internet]. 25º de janeiro de 2011 [citado 4º de dezembro de 2022];30(4). Disponível em: https://seer.ufrgs.br/index.php/hcpa/article/view/17953

Edição

Seção

Artigos de Revisão

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)

1 2 3 4 > >>