Sexualidade de adolescentes na unidade socioeducativa de internação: pulsões e interseções

Autores

DOI:

https://doi.org/10.22456/2238-152X.108522

Palavras-chave:

Adolescente, Socioeducativo, Pulsões.

Resumo

O artigo integra uma investigação documental em prontuários de adolescentes que cumprem medida socioeducativa de internação. Tem como objetivo explorar dados referentes à
sexualidade e práticas sexuais, em interlocução com a interseccionalidade e a teoria das pulsões
em Freud. As informações disponíveis nos prontuários indicam que a vida sexual ativa faz parte
da realidade de muitos dos adolescentes. No entanto, oportunidades para abordar a sexualidade
em sentido ampliado, que levem em conta as relações interseccionais de poder, parecem ser
perdidas no cotidiano de uma unidade de internação. Ao restringir o corpo com a privação da
liberdade de ir e vir, o sistema socioeducativo impacta o exercício da sexualidade de modo
entrelaçado aos marcadores de gênero, classe e raça dos sujeitos adolescentes.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Lara Percílio Santos, Universidade Federal de Goiás UFG

Psicóloga Clínica/da Saúde do Centro de Estudos, Pesquisa e Extensão do Adolescente - CEPEA/FE/UFG. Mestre (2019) em Psicologia Clínica e Cultura pela Universidade de Brasília - UnB.

Altair José dos Santos, Universidade Federal de Goiás UFG

Psicanalista. Doutor em psicologia clínica e cultura pela Universidade de Brasília. Professor na Universidade Federal de Goiás. Coordenador do Centro de Ensino, Pesquisa e Extensão do Adolescente - CEPEA/FE/UFG. Membro do Corpo Freudiano escola de psicanálise.

Referências

Ambra, P. (2016). A psicanálise é cisnormativa? Palavra política, ética da fala e a questão do patológico. Periódicus, 5(1), 101-120. DOI: https://doi.org/10.9771/peri.v1i5.17179

Butler, J. (2008). Problemas de gênero: feminismo e subversão da identidade. Rio de Janeiro, Brasil: Civilização Brasileira.

Crenshaw, K. W. (1991). Mapping the margins: intersectionality, identity politics and violence against women of color. Stanford Law Review, 43(6), 1241-1299. DOI: https://doi.org/10.2307/1229039

Collins, P. H. & Bilge, S. (2021). Interseccionalidade. São Paulo, Brasil: Boitempo.

Conselho Nacional de Justiça. (2012). Panorama nacional: a execução das medidas socioeducativas de internação. Programa justiça ao jovem. Recuperado de: https://www.cnj.jus.br/wp-content/uploads/2011/02/panorama_nacional_doj_web.pdf

Conselho Nacional de Justiça. (2015). Dos espaços aos direitos: a realidade da ressocialização na aplicação das medidas socioeducativas de internação das adolescentes do sexo feminino em conflito com a lei nas cinco regiões. Recuperado de https://www.cnj.jus.br/wp-content/uploads/2011/02/cb905d37b1c494f05afc1a14ed56d96b.pdf

Foucault, M. (1987). Vigiar e punir: nascimento da prisão. Petrópolis, Brasil: Vozes.

Freud, S. (2016). Três ensaios sobre a teoria da sexualidade. In S. Freud, Obras completas v. 6(pp. 13-172). São Paulo, Brasil: Companhia das Letras. (Originalmente publicada em 1905).

Freud, S. (2016). Compêndio de psicanálise e outros escritos inacabados. In S. Freud, Obras incompletas v. 3. Belo Horizonte, Brasil: Autêntica. (Originalmente publicada em 1938).

Freud, S. (2019). As pulsões e seus destinos. In S. Freud, Obras incompletas de Sigmund Freud(v. 2, pp. 12-69). Belo Horizonte, Brasil: Autêntica Editora. (Originalmente publicada em 1915).

Freud, S. (2006). Além do princípio do prazer. In S. Freud, Escritos sobre a psicologia do inconsciente(v. 2, pp. 123-182). Rio de Janeiro, Brasil: Imago. (Originalmente publicada em 1920).

Garcia, A. M. &Gonçalves, H. S. (2019). Sexualidade na medida socioeducativa de internação: traçando pistas por uma revisão da literatura. Psicologia: Ciência e Profissão, 39, 1-16. doi: https://doi.org/10.1590/1982-3703003184463

Guerra, A. M. C., Cunha, C. F., Costa, M. H. & Silva, T. L. (2014). Risco e sinthome: a psicanálise no sistema socioeducativo. Psicologia: Teoria e Pesquisa, 30(2), 171-177. DOI: https://doi.org/10.1590/S0102-37722014000200006

Guerra, A. M. C. & Otoni, M. M. S. S. (2018). O adolescente infrator e o Outro social: reflexões psicanalíticas sobre a indiferença. Revista Subjetividades, 18(3), 1-12. DOI: https://doi.org/10.5020/23590777.rs.v18i3.5182

Gurski, R. & Strzykalski, S. (2018). A escuta psicanalítica de adolescentes em conflito com a lei: que ética pode sustentar esta intervenção? Tempo Psicanalítico, 50(1), 72-98. Recuperado de: http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0101-48382018000100005

Lei nº 12.594, institui o Sistema Nacional de Atendimento Socioeducativo

Santos, L. P. & Santos, A. J. dos. SINASE, Presidência da República. (2012). Recuperado de: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2011-2014/2012/lei/l12594.htm#:~:text=Art.,adolescente%20que%20pratique%20ato%20infracional.

Mattar, L. D. (2008). Exercício da sexualidade por adolescentes em ambientes deprivação de liberdade. Cadernos de Pesquisa, 38(133), 61-95. DOI: https://doi.org/10.1590/S0100-15742008000100004

Paik, L. (2017). Critical perspectives on intersectionality and criminology: introduction. Theoretical Criminology, 21(1), 4-10. DOI: https://doi.org/10.1177/1362480616677495Papalia,

D. E. & Feldman, R. D. (2013). Desenvolvimento humano. Porto Alegre, Brasil: Artmed.

Portaria nº 647, aprova as normas para a Implantação e Implementação da Política de Atenção Integral à Saúde dos Adolescentes em Conflito com a Lei, em Regime de Internação e Internação Provisória –PNAISARI, Ministério da Saúde. (2008). Recuperado de http://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/sas/2008/prt0647_11_11_2008.html.

Santos, A. J. dos. (2021). Adolescência e a constituição do sujeito: angústia e violências. Goiânia: Cegraf/UFG.

Santos, L. P. (2019). Efeitos de intervenção no campo de prevenção do HIV/aids com adolescentes em privação de liberdade: uma análise na perspectiva da interseccionalidade. [Dissertação de Mestrado, Programa de Pós-Graduação em Psicologia Clínica e Cultura da Universidade de Brasília]. https://repositorio.unb.br/handle/10482/37842?mode=full.

Silva, S. P. C., Guisande, T. C. C. A. & Cardoso, A. M. (2018). Adolescentes em conflito com a lei e a vulnerabilidade para IST/HIV/aids: conhecimentos e vivências. Revista de Enfermagem e Atenção à Saúde, 7(2), 95-108. doi: https://doi.org/10.18554/reas.v7i2.2384

Taquette, S. R. (2010). Interseccionalidade de gênero, classe e raça e vulnerabilidade de adolescentes negras às DST/aids. Saúde e Sociedade, 19(2), 51-62. Recuperado de: https://www.scielo.br/pdf/sausoc/v19s2/06.pdf

Zilli, L. F. (2015). O “mundo do crime” e a “lei da favela”: aspectos simbólicos da violência de gangues na região metropolitana de Belo Horizonte. Etnográfica,19(3), 463-487. DOI: https://doi.org/10.4000/etnografica.4074

Publicado

2022-05-03

Como Citar

Santos, L. P., & Santos, A. J. dos. (2022). Sexualidade de adolescentes na unidade socioeducativa de internação: pulsões e interseções. Revista Polis E Psique, 12(1), 188–210. https://doi.org/10.22456/2238-152X.108522

Edição

Seção

Artigos