Saúde Mental na Infância: cuidado e cotidiano nas políticas públicas / Mental Health in Childhood: care and the everyday in public policies

Autores

  • Bruna Moraes Battistelli UFRGS
  • Lilian Rodrigues Cruz UFRGS

DOI:

https://doi.org/10.22456/2238-152X.69780

Palavras-chave:

Acolhimento Institucional, Assistência Social, Cuidado, Saúde Mental.

Resumo

Resumo

Este relato de experiência objetiva problematizar as possibilidades de constituição de cuidado em saúde mental tomando a criança e o adolescente como capaz de afetar-se e produzir afetos no outro. A narrativa, constituída em forma de relato de experiência, apoia-se na interface do cotidiano dos serviços de saúde e da assistência social, seja através de experiência profissional, bem como de forma indireta, como as supervisões locais e acadêmicas. Pensar saúde mental na infância e adolescência é partir da ideia de um sujeito integral, considerando sua subjetividade, singularidade e visão de mundo, a partir da constituição de rede de serviços, além de tencionar os mecanismos de cuidado que se estabelecem no contemporâneo para crianças e adolescentes.

Palavras-chave: Acolhimento Institucional; Assistência Social; Cuidado; Saúde Mental.

Abstract

This experience report aims to problematize the possibilities of providing mental health care, while considering the child and the adolescent as capable of being self-affecting and mutually
productive of affects. The narrative, constituted as an experience report, relies on the daily interfacing of health services and social assistance either directly, through professional experience, or indirectly, through local and academic supervision. To think mental health in childhood and adolescence entails the idea of an integrated subject and consideration of its subjectivity, uniqueness and worldview through its constitution by a service network, in addition to examining the mechanisms of care established in the present for children and adolescents.

Keywords: Institutional Care; Social Assistance; Care; Mental
Health.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Bruna Moraes Battistelli, UFRGS

psicóloga, especialista em Instituições em Análise pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), mestranda do Programa de Psicologia Social e Institucional da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS).

Lilian Rodrigues Cruz, UFRGS

psicóloga; doutora em Psicologia pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul  (PUCRS); docente do Instituto de Psicologia - Departamento de Psicologia Social e Institucional - e do Programa de Pós-Graduação em Psicologia Social e Institucional da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). Integra o Núcleo e-politics - Estudos em Políticas e Tecnologias Contemporâneas de Subjetivação.

Referências

Bernardes, A.G. (2012). Potências no campo da saúde: o cuidado como experiência, ética, política e estética. Barbarói, 36,175-190.

Bicalho, P. P. G. de. (2014). Uma carta endereçada à "Proteção Integral". Em A.G. Bernardes, A. G.; G.M. Tavares & M. Moraes (Orgs.). Cartas para pensar políticas de pesquisa em Psicologia (pp.33-41). Vitória: EDUFES.

Brum, E. (2014). Como se fabricam crianças loucas. El País. Recuperado em 15 de julho, 2015 em http://brasil.elpais.com/brasil/2014/03/17/opinion/1395072236_094434.html

Ceccim, R. B. & Palombini, A. de L. (2009). Imagens da infância, devir-criança e uma formulação á educação do cuidado. Em M. S. Maia (Org.). Por uma ética do cuidado (pp.135-143). Rio de Janeiro: Garamond.

Engelman, S.(2009). Brincar. Em J. G. Aquino & S. M. Corazza (Orgs.). Abecedário: Educação da Diferença (pp.33-35). Campinas: Papirus.

Foucault, M. (2015). 1980- Mesa-Redonda de 20 de Maio de 1978. Em M.B. da Motta(Org.), Ditos e Escritos IV: Estratégia, Poder-Saber (pp.328-344). Rio de Janeiro: Forense Universitária.

Franco, T. B. & Merhy, E. E. Cartografias do Trabalho e Cuidado em Saúde. Revista Tempus Actas de Saúde Coletiva, 6 (2), 151-163.

Macerata, I. M. & Passos, E. (2015). Intervenção com jovens em situação de rua: problematizando cuidado e controle. Psicologia & Sociedade, 27 (3), 537-547.

Ministério da Saúde. (2015). Caminhos para uma política de saúde mental infanto-juvenil. Brasília. Recuperado em 05 de maio de 2016 em http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/05_0887_M.pdf .

Ministério da Saúde. (2013). Saúde Mental- Cadernos de Atenção Básica, nº 34. Brasília.

MDS - Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome. (2004). Política Nacional de Assistência Social. Brasília.

MDS - Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome. (2009). Orientações Técnicas: Serviços de Acolhimento para Crianças e Adolescentes. Brasília.

MDS- Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome. (2013). Concepção de Convivência e Fortalecimento de Vínculos. Brasília.

Mehry, E. E. & Cecílio, L. C. O. (2003). A integralidade do cuidado como eixo da gestão hospitalar. Campinas: Unicamp. (REVER)

Merhy. E. E. (2006). O cuidado é um acontecimento, e não um ato. Em Conselho Federal de Psicologia, Fórum Nacional de Psicologia e Saúde Pública: Contribuições Técnicas e Políticas para avançar o SUS (p.69-78). Brasília, DF.

Merhy, E. E., Feuerwecker, L. & Gomes, M. P. C. (2010). Da repetição à diferença: construindo sentidos com o outro no mundo do cuidado. Em T.B. Franco (Org.). Semiótica, afecção & cuidado em saúde (pp.60-75). São Paulo: Hucitec.

Pereira, V. T., Freitas, C. R. & Dias, D. D. (2016). Violação de direitos no SUAS: a precarização da vida. Revista Polis e Psique, 2016, 6(2), 25 – 44.

Pinheiro, R. (2008). Cuidado em Saúde. Em I. B. Pereira & J. C. F. L. Lima (Orgs.). Dicionário da educação profissional em saúde (pp. 110-114). Rio de Janeiro: EPSJV.

Reis, C. (2012). (Falência Familiar) + (Uso de Drogas) = Risco e Periculosidade- A naturalização jurídica e psicológica de jovens com medida de Internação Compulsória. Dissertação de mestrado, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, RS, Brasil.

Reis, C., Guareschi, N. M. F. & Carvalho, S. (2014). Sobre jovens drogaditos: as histórias de ninguém. Psicologia & Sociedade, 26 (n. spe.), 68-78.

Silva, R. N. da, Hartmann, S., Scisleski, A. C. C. & Pires, M. L. (2008). As patologias nos modos de ser criança e adolescente análise das internações no Hospital Psiquiátrico São Pedro entre 1884 e 1937. Revista Psico, 39 (4), 448-455.

Teixeira, R. R. (2015). As dimensões da produção do comum e a saúde. Saúde & Sociedade, 24 (1), 27-43.

Trevizani, T. M. & Silva, R. A. N. da (2014). Camisa de força para menores: as patologias de crianças e adolescentes (Hospício São Pedro, 1884-1929). Mnemosine, 10(1), 142-166.

Downloads

Publicado

2017-02-07

Como Citar

Battistelli, B. M., & Cruz, L. R. (2017). Saúde Mental na Infância: cuidado e cotidiano nas políticas públicas / Mental Health in Childhood: care and the everyday in public policies. Revista Polis E Psique, 6(3), 187–205. https://doi.org/10.22456/2238-152X.69780

Edição

Seção

Relato de Experiência

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)