Consumo e Formação dos Hábitos de Esporte e Lazer

Autores

  • Fernando Renato Cavichiolli
  • Fernando Marinho Mezzadri
  • Fernando Augusto Starepravo

DOI:

https://doi.org/10.22456/1982-8918.2903

Palavras-chave:

Atividades de lazer. Esportes. Política social

Resumo

O objetivo do texto é iniciar uma análise dos hábitos de esporte e lazer da população da cidade de Curitiba. Os dados foram coletados durante o projeto “Viva o Verão” do Governo do Estado do Paraná. O procedimento adotado para a obtenção dos dados foi a pesquisa exploratória, com o objetivo de proporcionar uma visão geral sobre o tema. Os dados coletados por meio da pesquisa exploratória constituem a primeira etapa de uma investigação mais ampla. Neste texto vamos nos restringir à faixa etária de 18 a 30, que corresponde a um momento de transição entre a juventude e a vida adulta. A partir dos dados obtidos, analisamos as seguintes categorias: faixa etária, renda familiar, grau de escolaridade e como os indivíduos utilizam seu tempo livre. Consideramos também o estado civil, a paternidade, o grau de maturidade da família (se os filhos moram juntos ou separados dos pais) e o significado dos consumos de esporte e lazer. Para orientar a discussão de hábitos, tempo livre e consumo, utilizamos os seguintes referenciais teóricos: Veblen e os conceitos de consumo conspícuo, a escola de Frankfurt e o conceito de indústria cultural e, por último, Featherstone, que utiliza os conceitos configuracionistas e o consumo. Acreditamos que esse estudo poderá trazer subsídios para professores/pesquisadores e gestores públicos, pois possibilitará a compreensão mais aprofundada de algumas formas de comportamento do cidadão.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2007-12-28

Como Citar

CAVICHIOLLI, F. R.; MEZZADRI, F. M.; STAREPRAVO, F. A. Consumo e Formação dos Hábitos de Esporte e Lazer. Movimento, [S. l.], v. 12, n. 2, p. 241–271, 2007. DOI: 10.22456/1982-8918.2903. Disponível em: https://seer.ufrgs.br/index.php/Movimento/article/view/2903. Acesso em: 26 nov. 2022.

Edição

Seção

Espaço Aberto