O arcaico e o contemporâneo em sense8: representações arquetípicas da diversidade

Sílvio Antonio Luiz Anaz

Resumo


A série sense8 faz da representação da diversidade um dos pontos centrais do imaginário que compartilha com a audiência, o que estimula a discussão sobre os estereótipos e estigmas na composição sociológica e psicológica de personagens ficcionais e também na sociedade contemporânea. Do ponto de vista comunicacional, uma questão relevante que surge com a popularidade da série é identificar a quais elementos simbólicos ela recorre em sua construção de uma narrativa sobre a diversidade, estereótipos e estigmas. Este estudo busca responder a essa questão a partir das perspectivas propostas na teoria geral do imaginário (Durand), como a de que as produções culturais e a sociedade são permanentemente orientadas (e desorientadas) por mitos fundadores. O objetivo é identificar rastros de narrativas mitológicas em sense8 e entender de que forma eles se relacionam com os temas e personagens na construção dos sentidos da série. O método utilizado é o da mitocrítica (Durand) e os resultados mostram como os elementos simbólicos mais redundantes na primeira temporada estabelecem correlações arquetípicas principalmente com os mitos gregos de Dionísio e do Andrógino.

Palavras-chave


Teoria Geral do Imaginário. Sociedade. Mito. Série Sense8. Mitocrítica.

Texto completo:

PDF




Intexto | E-ISSN 1807-8583

Classificação Qualis: B1 - Comunicação, Informação, História, Letras/Linguística  | B2 - Psicologia | B3 - Ciência Política e Relações Internacionais, Arquitetura, Urbanismo e Design, Ciências Ambientais, Interdisciplinar | B4 - Sociologia. 

Programa de Pós-graduação em Comunicação e Informação | Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Rua Ramiro Barcelos, 2705 - Porto Alegre, RS, Brasil | E-mail: intexto@ufrgs.br

Membro da Associação Brasileira de Editores Científicos