Remontar as mídias: o pensamento imagético de Harun Farocki

Autores

  • Luís Flores PPGCOM/UFMG
  • César Geraldo Guimarães PPGCOM/UFMG

DOI:

https://doi.org/10.19132/1807-8583202048.22-43

Palavras-chave:

Farocki. Montagem. Mídias. Cinema. Técnica.

Resumo

O cineasta alemão Harun Farocki desenvolveu, ao longo de sua filmografia, uma série de investigações pujantes sobre as imagens técnicas e seus efeitos sobre a vida humana. Ao trabalhar com materiais heterogêneos, provenientes dos mais diversos suportes midiáticos, ele desenvolve reflexões fundamentais que podem ser colocadas ao lado dos principais pensadores da mídia e da técnica no século XX, como Friedrich Kittler e Jonathan Crary, e das tecnologias de controle, como Michel Foucault. Voltando-se predominantemente para os condicionamentos e as interseções das tecnologias midiáticas, Farocki elabora um pensamento ímpar no qual elementos ou contextos específicos são reconectados, por meio da montagem cinematográfica, aos circuitos mais amplos que os envolvem. Um pensamento assim constituído permite que as imagens, juntamente às mídias que as promovem, sejam continuamente desmontadas e remontadas, a fim de alcançar uma compreensão mais ampla sobre os seus mecanismos em contextos variados. Neste artigo, partimos da análise de dois filmes do cineasta, A saída dos operários da fábrica (1995) e Videogramas de uma revolução (1992), para demonstrar como esse gesto de remontagem ocorre.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Luís Flores, PPGCOM/UFMG

Doutorando em Comunicação Social pela Universidade Federal de Minas Gerais (PPGCOM-UFMG). Mestre em Cinema pelo Programa de Pós-graduação em Artes da EBA-UFMG, com dissertação intitulada Max Ophuls, mestre de cerimônias: mise en scène reflexiva em La ronde e Lola Montès. Ensaísta, curador e pesquisador de cinema, atua também como tradutor. É professor do curso de Pós-Graduação em Produção Audiovisual: Documentário, na UNA. Professor da Escola Livre de Cinema. Co-diretor do documentário Notas de resistência (2013). Organizador das retrospectivas dos cineastas Rithy Panh (2013) e Trinh T. Minh-ha (2015) no Brasil. Curador do Festival Internacional de Curtas de Belo Horizonte de 2015. Curador do forumdoc.bh.2015. Membro da Camira (Cinema and Moving Image Research Assembly).

César Geraldo Guimarães, PPGCOM/UFMG

Possui graduação em Língua Portuguesa pela Universidade Federal de Minas Gerais (1988), doutorado em Estudos Literários (Literatura Comparada) pela Universidade Federal de Minas Gerais (1995) e pós-doutorado pela Universidade Paris 8 (2002). É Professor Titular da Universidade Federal de Minas Gerais, integrante do corpo permanente do Programa de Pós-Graduação em Comunicação da FAFICH-UFMG, pesquisador do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico e colaborador da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior. Tem experiência na área de Comunicação, com ênfase em Teorias da Imagem, atuando principalmente nos seguintes temas: cinema moderno (ficção e documentário) e experiência estética. Editor da revista Devires: Cinema e Humanidades. Coordenador do Grupo de Pesquisa "Poéticas da Experiência". Foi coordenador-geral do Festival de Inverno da UFMG de 2012 a 2014, com o Projeto de Extensão "O Bem Comum". Coordenador do Projeto de Extensão Formação Transversal em Saberes Tradicionais.

Downloads

Publicado

2020-01-01

Como Citar

Flores, L., e C. G. Guimarães. “Remontar As mídias: O Pensamento imagético De Harun Farocki”. Intexto, nº 48, janeiro de 2020, p. 22-43, doi:10.19132/1807-8583202048.22-43.

Edição

Seção

Dossiê Teoria dos cineastas