Performances como expressões da experiência estética: modos de apreensão e mecanismos operativos

Jorge Cunha Cardoso Filho, Juliana Freire Gutmann

Resumo


O artigo compreende as performances como expressões empíricas da experiência estética, entendendo que desestabilizações nas performances respondem por formas expressivas dessa experiência. Enquanto comportamentos restaurados, as performances podem ser observadas em situações sociais diversas, o que sugere possibilidades variadas de apreensão. Com base na observação de como temos acessado a performance a partir de distintos processos midiáticos, elencamos quatro figurações conceituais que podem ser tomadas enquanto mecanismos operativos de análise: mimesis, mise-en-scène, contexto comunicativo e gênero midiático.


Palavras-chave


Experiência estética. Performance. Operadores de análise.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.19132/1807-8583201947.104-120



Intexto | E-ISSN 1807-8583 | Facebook | Google Scholar 

Classificação Qualis: B1 - Comunicação, Informação, História, Letras/Linguística  | B2 - Psicologia | B3 - Ciência Política e Relações Internacionais, Arquitetura, Urbanismo e Design, Ciências Ambientais, Interdisciplinar | B4 - Sociologia. 

Programa de Pós-graduação em Comunicação | Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Rua Ramiro Barcelos, 2705 sala 519 - Porto Alegre, RS, Brasil | E-mail: Intexto @ufrgs.br

Membro Associação Brasileira de Editores Científicos 

Signatária DORA (San Francisco Declaration on Research Assessment)