Consumo, sentidos, usos e apropriações nas pesquisas de recepção: nem tão sinônimos, nem tão distantes

Autores

  • Daniela Maria Schmitz Pós-doutoranda e professora colaboradora no Programa de Pós-Graduação em Comunicação e Informação da Universidade Federal do Rio Grande do Sul.

DOI:

https://doi.org/10.19132/1807-8583201534.255-275

Palavras-chave:

Recepção. Consumo midiático. Uso (conceito). Sentido (conceito). Apropriação (conceito).

Resumo

O artigo discute as aproximações e especificidades das noções de consumo, sentidos, usos e apropriações, conceitos tão caros para os estudos do chamado campo da recepção, principalmente da vertente latino-americana. Na reflexão são incluídas ainda, as distinções entre recepção e consumo midiático. Toma-se por base as proposições de García Canclini e Martín-Barbero, amparando-se ainda em definições de dicionários de filosofia e sociologia. A intenção é contribuir para o debate com algumas acepções, sobreposições e contradições destes termos para apresentar uma proposta que os distinga enquanto processo de aquisição simbólica de produtos midiáticos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Daniela Maria Schmitz, Pós-doutoranda e professora colaboradora no Programa de Pós-Graduação em Comunicação e Informação da Universidade Federal do Rio Grande do Sul.

Pós-doutoranda e professora colaboradora no Programa de Pós-Graduação em Comunicação e Informação da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, bolsista PNPD-CAPES;  concluiu o doutorado na mesma instituição. É formada em Publicidade e Propaganda pela Universidade do Vale do Rio dos Sinos, onde também obteve o título de mestre em Ciências da Comunicação.

Downloads

Publicado

2015-12-17

Como Citar

Schmitz, D. M. “Consumo, Sentidos, Usos E apropriações Nas Pesquisas De recepção: Nem tão sinônimos, Nem tão Distantes”. Intexto, nº 34, dezembro de 2015, p. 255-7, doi:10.19132/1807-8583201534.255-275.