O embate pelo controle da memória traumática brasileira

Jacques Alkalai Wainberg

Resumo


O objetivo geral deste estudo é analisar a natureza do embate comunicacional que está sendo levado a cabo no Brasil pelas forças remanescentes do confronto político e ideológico dos anos 60. Seu objetivo específico é verificar a natureza dos traços de memória que perduraram no tempo a partir da narrativa jornalística daquele período. Livros de memória, artigos e debates públicos desejam agora influenciar a interpretação dos fatos descritos nos assépticos livros de história. O tema envolve a compreensão do fenômeno mais amplo da construção da memória coletiva, especialmente nos casos em que o evento histórico é dissonante e traumático. Fazem-se aqui dois tipos de levantamentos. O primeiro diz respeito ao exame quantitativo da produção editorial e cinematográfica que trata desta temática ao longo do tempo O segundo descreve a narrativa produzida pela revista Veja em sua cobertura dos eventos no período de 25/9/1968 a 13/10/93. Este estudo mostra que é possível documentar a continuidade da vida psíquica entre as gerações.

Palavras-chave


Memória coletiva. Ditadura brasileira. Construção da história.

Texto completo:

PDF




Intexto | E-ISSN 1807-8583 | Facebook | Google Scholar 

Classificação Qualis: B1 - Comunicação, Informação, História, Letras/Linguística  | B2 - Psicologia | B3 - Ciência Política e Relações Internacionais, Arquitetura, Urbanismo e Design, Ciências Ambientais, Interdisciplinar | B4 - Sociologia. 

Programa de Pós-graduação em Comunicação | Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Rua Ramiro Barcelos, 2705 sala 519 - Porto Alegre, RS, Brasil | E-mail: Intexto @ufrgs.br

Membro Associação Brasileira de Editores Científicos 

Signatária DORA (San Francisco Declaration on Research Assessment)