Fator de impacto de periódicos utilizados pelos programas de pós-graduação em Comunicação e Informação para a divulgação do conhecimento

Autores

  • Catia Candida de Almeida UNESP - Universidade Estadual Paulista
  • Maria Cláudia Cabrini Grácio UNESP - Universidade Estadual Paulista
  • Angela Maria Grossi Carvalho UNESP - Universidade Estadual Paulista

DOI:

https://doi.org/10.19132/1808-5245243.198-225

Palavras-chave:

Periódicos científicos. Fator de Impacto. Política de avaliação da Pós-Graduação. Comunicação e Informação.

Resumo

A gestão da política científica e seus instrumentos de avaliação servem para o planejamento e o entendimento da dinâmica científica. Nesse contexto, a formulação de política de avaliação dos cursos de pós-graduação é fundamental. Considerando tal problemática, esta pesquisa objetiva descrever o comportamento dos valores de fator de impacto dos periódicos da área de Comunicação e Informação, qualificados pelo Qualis CAPES, para a avaliação da produção científica dos programas de pós-graduação da área, mais especificamente, para os periódicos da área de Comunicação e Informação classificados no estrato A1. Objetiva-se analisar seus indicadores bibliométricos de impacto, a saber: Fator de Impacto e Posição de Quartil. Os resultados mostraram indícios de alta variabilidade dos valores do fator de impacto. Os valores dos FIs estão relacionados com a posição dos quartis, as quais mantiveram-se inalterados para a maioria dos periódicos no período analisado.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Catia Candida de Almeida, UNESP - Universidade Estadual Paulista

Possui bacharelado em Estatística,Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho. Licenciatura em Matemática, Centro Universitário Claretiano. Especialização em Economia Financeira pela Universidade Estadual de Campinas. Mestrado em Educação Matemática, Universidade Bandeirante de São Paulo. Doutorado em andamento em Ciência da Informação, UNESP. 

Maria Cláudia Cabrini Grácio, UNESP - Universidade Estadual Paulista

Professora do programa de Pós-Graduação em Ciência da Informação.

Possui Bacharelado em Estatística pela Universidade Estadual de Campinas (1986), mestrado em Estatística pela Universidade Estadual de Campinas (1991) e doutorado em Lógica pela Universidade Estadual de Campinas (1999). 

Angela Maria Grossi Carvalho, UNESP - Universidade Estadual Paulista

ngela Maria Grossi de Carvalho possui graduação em Comunicação Social - habilitação em Jornalismo pela Universidade de Sorocaba (1999), mestrado em Educação pela Universidade Metodista de Piracicaba (2005), doutorado em Ciência da Informação pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (2010) e pós-doutorado em Comunicação pela Universidade de Sevilha-Espanha (2011). Atualmente é docente do curso de Jornalismo e do Programa de Pós-Graduação em Ciência da Informação (Unidade de Marília) da Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (UNESP).

Referências

BALBACHEVSKY, E. A pós-graduação no Brasil: novos desafios para uma política bem sucedida. In: SCHWARTZMAN, S.; BROCK, C. (Ed.). Os desafios da educação no Brasil. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2005. p. 275-304.

BARATA R. C. B. Dez coisas que você deveria saber sobre o Qualis. Revista Brasileira de Pós-Graduação, Brasília, v. 13, n. 30, p. 13-40, 2016.

BRASIL. Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior. Avaliação trienal 2013. Brasília: CAPES, 2014.

BRASIL. Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior. Capes 60 anos. Brasília: CAPES, 2011.

BRASIL. Plataforma Sucupira. 2017.

CAMPOS, J. N. B. Qualis periódicos: conceitos e praticas nas Engenharias I. Revista Brasileira de Pós-Graduação, Brasília, v. 7, n. 14, p. 477-503, 2010.

CASTANHA,R. G.; GRÁCIO, M. C. C. Análise de cluster como aporte metodológico para avaliação de programas de pós-graduação: um estudo na área de Ciência da Informação (2010-2012) In: ENCONTRO BRASILEIRO DE BIBLIOMETRIA E CIENTOMETRIA, 5., 2016, São Paulo. Anais... São Paulo: USP, 2016.

COUTINHO, M. Ecology and environmental science in brazilian higher education: graduate programs, research and intelectual identity. São Paulo: NUPES-USP, 1996. Documento de trabalho.

DONG, P.; LOH, M.; MONDRY, A. The “impact factor“ revisited. Biomedical Digital Libraries, London, v. 2, n. 7, p. 1-8, 2005.

EVERITT, B. S.; LANDAU, S.; LEESE, M. Cluster analysis. 4. ed. London: Wiley, 2001.

FERNANDÉZ-LLIMÓS, F. Análisis de la cobertura del concepto de Pharmaceutical Care en fuentes primarias y secundarias de información. Granada: Universidad de Granada, 2003.

FERRER-SAPENA, A.; DÍAZ-NOVILLO, S.; SÁNCHEZ-PÉREZ, E.A. Measuring time-dynamics and time-stability of journal rankings in Mathematics and Physics by means of fractional p-variations. Publications, Basel, v. 5, n. 21, 2017.

GARFIELD, E.; SHER I. H. 1961 Science Citation Index. Philadelphia: Institute for Scientific Information, 1963.

GLÄNZEL, W. Bibliometrics as a research field: a course on theory and application of bibliometric indicators. [S.l.]: Coursehandouts, 2003.

GLÄNZEL, W., MOED, F. H. Journal impact measures in bibliometric research. Scientometrics, Dordrecht, v. 53, n. 2, p. 171–193, 2002.

GRÁCIO, M. C. C.; OLIVEIRA, E. F. T. Indicadores cientométricos normalizados: um estudo na produção científica brasileira internacional (1996 a 2011). Perspectivas em Ciência da Informação, Belo Horizonte, v. 19, n. 3, p.118-133, 2014.

HICKS, D. et al. The Leiden Manifesto for research metrics. Nature, London, v. 520, n. 7548, p. 429-431, 2015.

KALTENBORN, F. K. Validity and fairness of the impact factor. Birkhäuser, 2004.

KELLNER, A.W.A. The Qualis system: a perspective from a multidisciplinary journal. Anais da Academia Brasileira de Ciências, Rio de Janeiro, v. 89, n. 3, p. 1339-1342, 2017.

LIBERATORE, G.; HERRERO-SOLANA, V.; GUIMARÃES, J. A. C. Análise bibliométrica do periódico brasileiro ciência da informaçÃo durante o período 2000-2004. Brazilian Journal of Information Science, Marília, v. 1, n. 2, p. 3-21, 2007.

MARCHLEWSKI, C.; SILVA, M. P.; SORIANO, B. J. A Influência do sistema de avaliação Qualis na produção do conhecimento científico: algumas reflexões sobre a Educação Física. Motriz, Rio Claro, v. 17, n. 1, 2011.

MARTINS, C. B. A reforma universitária de 1968 e a abertura para o ensino superior privado no Brasil. Educação e Sociedade, Campinas, v. 30, n. 106, p. 15–35, 2009.

MOED, H. F., VAN LEEUWEN, T. N.; REEDIJK, J. A new classification system to describe the ageing of Scientific journals and their impact factors. Journal of Documentation, Bingley, v. 54, n.4, 387-419, 1996.

MUGNAINI, R. Caminhos para adequação da avaliação da produção científica brasileira: impacto nacional versus internacional. 2006. Tese (Doutorado em Ciência da Informação) - Universidade de São Paulo, São Paulo, 2006.

POURIS, A.E. M.; POURIS, A. An assessment of South Africa’s research journals: Impact factors, Eigenfactors and structure of editorial boards. South African Journal of Science, Pretoria, v. 111, n. 3/4, p. 1-8, 2015.

QUIÑONES, E. O. Guía sobre diseño y gestión de la política pública. Bogotá: CAB, 2008. (Série Ciencia y Tecnología, n. 168).

SAGASTI, F. Science and technology policy research for development: an overview and some priorities from a Latin American perspective. Bulletin of Science, Technology and Society, Thousand Oaks, v. 9, n. 1, p. 50-60, 1989.

SALOMON, J. J. Critérios para uma política de ciência e tecnologia: de um paradigma a outro. Revista Colóquio/Ciências, Lisboa, p. 90-98, 1989.

SEGLEN, P.O. Citations and journal impact factors: questionable indicators of research quality. Allergy, Hoboken, v. 52, n. 11, p. 1050-1056, 1997.

SILVA, R. M. Qualis 2011-2013 – os três erres. Clinics, São Paulo, v. 65, n.10, p. 935-936, 2010.

SIMONS, K. The misused Impact Factor. Science, Washington, v. 322, n. 10, p. 165, 2008.

SPINAK, E. Indicadores cienciométricos. Ciência da Informação, Brasília, v. 27, n. 2, p. 141-148, 1998.

TESTA, J. Journal Selection Process. Clarivate Analytics, Philadelphia, 18 Jul. 2016. Disponível em: <https://clarivate.com/essays/journal-selection-process/>. Acesso em: 10 Apr. 2018.

VANZ S. A. S; CAREGNATO S. E. Estudos de citação: uma ferramenta para entender a comunicação científica. Em Questão, Porto Alegre, v.9, n. 2, p. 295-307, 2003

VELHO, L. Conceitos de ciência e a política científica, tecnológica e de inovação. Sociologias, Porto Alegre, n.13, p. 128-153, 2011.

VELHO, L. Research capacity building for development: from old to new assumptions. Science, Technology and Society, London, v. 9, n. 2, p. 172-207, 2004.

WALTMAN L. The importance of taking a clear position in the impact factor debate. CWTS: meaningful metrics [blog], Leiden, Jul. 2016. Disponível em: <https://www.cwts.nl/blog?article=n-q2w2c4&title=the-importance-of-taking-a-clear-position-in-the-impact-factor-debate>. Acesso em: 19 Apr. 2017.

WALTMAN, L.; TRAAG, V. A. Use of the journal impact factor for assessing individual articles need not be wrong. CWTS: meaningful metrics [blog], Leiden, Mar. 2017. Disponível em: <https://www.cwts.nl/blog?article=n-q2z254&title=use-of-the-journal-impact-factor-for-assessing-individual-articles-need-not-be-wrong>. Acesso em: 22 May 2017.

Downloads

Publicado

2018-08-27

Como Citar

DE ALMEIDA, C. C.; GRÁCIO, M. C. C.; CARVALHO, A. M. G. Fator de impacto de periódicos utilizados pelos programas de pós-graduação em Comunicação e Informação para a divulgação do conhecimento. Em Questão, Porto Alegre, v. 24, n. 3, p. 198–225, 2018. DOI: 10.19132/1808-5245243.198-225. Disponível em: https://seer.ufrgs.br/index.php/EmQuestao/article/view/76620. Acesso em: 3 mar. 2024.

Edição

Seção

Artigo

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)