Impactos da alteração no albedo das superfícies no microclima e nos níveis de conforto térmico de pedestres em cânions urbanos

Autores

  • Eduardo Leite Krüger Universidade Tecnológica Federal do Paraná
  • Dominique Elena Giordano Gonzalez IFPR

Palavras-chave:

Albedo, Cânion urbano, Conforto térmico, Microclima, Desenho Urbano

Resumo

O albedo de superfícies urbanas está diretamente relacionado à sua capacidade de absorver energia ou refleti-la para as superfícies adjacentes, influindo sobre as condições microclimáticas e de conforto térmico em nível do pedestre no espaço aberto. Este artigo analisa a influência de alterações do albedo de revestimentos de superfície sobre a temperatura do ar de um cânion urbano e sobre o grau de conforto térmico em nível do pedestre, em cidades de médio porte localizadas nas oito zonas bioclimáticas brasileiras. Para isso se utiliza o modelo preditivo CAT, do inglês canyon air temperature, em conjunto com o índice de conforto ITS. Os resultados mostraram que o impacto do aumento do valor do albedo das superfícies urbanas sobre a temperatura do ar é pequeno e que, de forma geral, o aumento do albedo superficial tende a piorar os níveis de conforto térmico para o pedestre. Assim, o uso de albedos altos não deve ser prescrito a todas as superfícies de cânions urbanos indiscriminadamente, exigindo avaliação das condições locais de modo a identificar as superfícies em que haja suficiente exposição solar para que o uso de albedos altos seja efetivo, de modo que isso não implique em prejuízo significativo para o conforto térmico de pedestres.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2016-05-25

Edição

Seção

Artigos

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)

> >>