Definição de faixas de conforto e desconforto térmico para espaços abertos em Curitiba, PR, com o índice UTCI

Autores

  • Francine Aidie Rossi Programa de Pós-Graduação em Tecnologia. Universidade Tecnológica Federal do Paraná.
  • Eduardo Leite Krüger Programa de Pós-Graduação em Tecnologia. Universidade Tecnológica Federal do Paraná.
  • Peter Bröde Leibniz Research Centre for Working Environment and Human Factors (IfADo)

Palavras-chave:

Conforto térmico em espaços abertos, Índices de conforto, UTCI

Resumo

O planejamento e a readequação urbana de espaços abertos são capazes de promover a melhoria das condições térmicas externas, influenciando positivamente o uso de espaços abertos. Neste contexto, foi realizada uma pesquisa para analisar o conforto térmico de transeuntes em ruas de pedestre em Curitiba, Paraná. Este artigo tem como objetivo definir faixas de conforto e desconforto térmico para Curitiba, propondo tais faixas para o índice UTCI (Universal Thermal Climate Index) para as condições climáticas locais a partir de um percentual aceitável de pessoas insatisfeitas com o ambiente térmico no espaço aberto. Para tal, foram analisados dados climáticos e dados pessoais obtidos por meio de monitoramento de campo em ruas de pedestre. Conclui-se que o índice UTCI teve boa capacidade preditiva para a amostra analisada e que as diferenças entre os subgrupos gênero, idade e índice de massa corpórea eram pequenas. A partir das análises das respostas reais de sensação térmica sugerem-se as seguintes faixas de conforto/desconforto térmico: desconforto para o frio, Ta ≤ 15°C; conforto, 15°C < Ta < 24°C e desconforto para o calor, Ta ≥ 24°C. A análise do índice UTCI mostrou a necessidade de calibração das faixas, sendo sugeridas as seguintes faixas para situações climáticas similares às de Curitiba: desconforto para o frio, Ta ≤ 15°C; conforto, 15°C < Ta < 27°C e desconforto para o calor, Ta ≥ 27°C.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Francine Aidie Rossi, Programa de Pós-Graduação em Tecnologia. Universidade Tecnológica Federal do Paraná.

Eduardo Leite Krüger, Programa de Pós-Graduação em Tecnologia. Universidade Tecnológica Federal do Paraná.

Peter Bröde, Leibniz Research Centre for Working Environment and Human Factors (IfADo)

Downloads

Publicado

2012-03-22

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)

> >>