Saber, poder e subjetividade no contexto canavieiro do Brasil

Autores

  • Paulo dos Santos Nascimento UFAL
  • Simone Maria Huning Universidade Federal de Alagoas

DOI:

https://doi.org/10.22456/2238-152X.35787

Palavras-chave:

ciências humanas e sociais, poder-saber, setor canavieiro, subjetividade.

Resumo

O objetivo desse artigo é analisar a produção acadêmica brasileira das ciências humanas e sociais, sobre modos de vida, trabalho e subjetivação no setor canavieiro do Brasil. Analisamos publicações científicas dos anos 2000-2010, em língua portuguesa, disponíveis na biblioteca eletrônica Scielo e no Banco de Teses da CAPES. A análise, sob uma perspectiva foucaultiana, foi estruturada em três eixos: ciência e cotidiano; resistência e submissão; subjetividade/subjetivação. Concluímos que a maior parte dessas produções filiam-se a tradições críticas; a objetivação dos sujeitos oscila entre descrições de passividade e de práticas autônomas de resistências; os estudos sobre subjetividade não fazem parte das publicações sobre o setor canavieiro. Indicamos a necessidade de ampliação desses estudos na Psicologia em uma perspectiva da epistemologia política.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Paulo dos Santos Nascimento, UFAL

Mestrando e Graduado em Psicologia pela UFAL, membro do grupo de pesquisa Processos Culturais, Políticas e Modos de Subjetivação

Simone Maria Huning, Universidade Federal de Alagoas

Docente e Pesquisadora dos Cursos de Graduação e Pós-Graduação em Psicologia da Universidade Federal de Alagoas. Líder do Grupo de Pesquisa Processos Culturais, Políticas e Modos de Subjetivação

Downloads

Publicado

2013-05-08

Como Citar

Nascimento, P. dos S., & Huning, S. M. (2013). Saber, poder e subjetividade no contexto canavieiro do Brasil. Revista Polis E Psique, 2(2), 23. https://doi.org/10.22456/2238-152X.35787

Edição

Seção

Artigos