AS IMPLICAÇÕES DO COACHING SCIENCE NOS ESPORTES DE AVENTURA: UM ESTUDO DE REVISÃO SISTEMÁTICA

Autores

  • Tayná Iha Universidade Federal de Santa Catarina. Florianópolis, SC, Brasil.
  • Vitor Ciampolini Universidade Federal de Santa Catarina. Florianópolis, SC, Brasil.
  • Vinicius Zeilmann Brasil Universidade Federal de Santa Catarina. Florianópolis, SC, Brasil.
  • Michel Milistetd Universidade Federal de Santa Catarina. Florianópolis, SC, Brasil.

DOI:

https://doi.org/10.22456/1982-8918.95536

Palavras-chave:

Treinador. Treinamento. Ensino. Esporte Radical.

Resumo

O objetivo deste estudo foi analisar a produção científica sobre o coaching nos esportes de aventura, de modo a identificar as características dos artigos, os direcionamentos metodológicos e as tendências temáticas. Para a obtenção dos artigos foi realizada uma revisão sistemática segundo as orientações do ENTREQ e PRISMA. Foram selecionados 24 artigos indexados nas bases de dados Scielo, SPORTDiscus, Web of Science, PubMed e PsycINFO. Os artigos incluídos foram, em sua maioria, publicados nos últimos cinco anos e originários do Reino Unido. O método mais utilizado foi o qualitativo, pelas técnicas de entrevistas e observações. Já as tendências temáticas dividiram-se em: atuação e desenvolvimento do treinador de esportes de aventura (TEA). Conclui-se que as características do ambiente de prática (ex: risco e instabilidade) é o que influencia diretamente a atuação e desenvolvimento do TEA. Apesar desta área ser recente, acredita-se que ela já apresenta conhecimentos de base para estudos futuros.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Tayná Iha, Universidade Federal de Santa Catarina. Florianópolis, SC, Brasil.

Vinculada ao Programa de Pós-graduação em Educação Física da Universidade Federal de Santa Catarina, na área Teoria e Prática Pedagógica.

Downloads

Publicado

2020-03-17

Como Citar

IHA, T.; CIAMPOLINI, V.; ZEILMANN BRASIL, V.; MILISTETD, M. AS IMPLICAÇÕES DO COACHING SCIENCE NOS ESPORTES DE AVENTURA: UM ESTUDO DE REVISÃO SISTEMÁTICA. Movimento, [S. l.], v. 26, p. e26016, 2020. DOI: 10.22456/1982-8918.95536. Disponível em: https://seer.ufrgs.br/index.php/Movimento/article/view/95536. Acesso em: 27 set. 2022.

Edição

Seção

Ensaios