Carneiro Leão e a Reforma das Línguas Estrangeiras no Brasil (1930-1934)

Jonathas de Paula Chaguri, Maria Cristina Gomes Machado

Resumo


Objetivamos analisar a proposta de Carneiro Leão para a reforma do ensino de línguas estrangeiras, no ensino secundário no Colégio D. Pedro II, entre 1930 e 1934. Os resultados mostram que Carneiro Leão foi favorável a uma reforma que contemplasse um estudo de forma ativa e dinâmica, possibilitando o engajamento no ideário de uma escola ativa. Com isso, Carneiro Leão inaugurou uma nova identidade ao estudo das línguas, garantindo um ensino contundentemente útil e prático, sem desvincular o caráter de promotor das humanidades aos homens que necessitavam de uma formação para os meios de produção do comércio e da indústria no país.

 

Palavras-chave


Antônio Carneiro Leão; Reforma das Línguas Estrangeiras; Ensino Secundário Brasileiro



Direitos autorais 2019 Educação & Realidade

Educação & Realidade - ISSN 0100-3143 (impresso) e 2175-6236 (online)

 

Licença Creative Commons
Todo o conteúdo deste periódico, exceto onde está identificado, está licenciado sob uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional

 

Apoio e Indexação:

LATINDEX

 

Crossref Similarity Check logo