A Representação do ciclo vital dos documentos: uma discussão sob a ótica da gestão de documentos

Nilcéia Lage Medeiros, Cléia Gomes Amaral

Resumo


Este artigo tem por objetivo suscitar, sob a ótica da gestão de documentos, questionamentos acerca das concepções que fundamentam as diferentes fases que constituem o ciclo vital dos documentos e a teoria das três idades. Assim, são apresentadas as representações das três fases do arquivamento por que passam os documentos (corrente, intermediária e permanente) e a do ciclo vital de documentos proposta por James Rhoads (1989) (nascimento, vida ativa/ produtiva, morte ou destruição, e reencarnação). Por último, questiona-se o papel do ciclo de vital dos documentos em um processo de gestão de documentos, considerando que os critérios de avaliação documental levam à representação da ideia de ciclo vital do documento (gestação, nascimento, vida administrativa ativa/produtiva, e destinação final), e essa, por sua vez, leva à determinação do trânsito dos documentos entre arquivos, propiciando a intervenção nas fases de vida, e sustentando, por fim, a aplicação da teoria das três idades.

Palavras-chave


Gestão de documentos. Ciclo vital dos documentos. Teoria das três idades.

Texto completo:

PDF




Em Questão | ISSN 1808-5245 | EQ no Facebook | EQ no Google Scholar

Classificação Qualis: A2 - Comunicação e Informação; B2 - Ciências Ambientais; B3 - Administração, Ciências Contábeis e Turismo; B4 - Sociologia; B5 - Engenharias I.

Programa de Pós-graduação em Comunicação  | Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Rua Ramiro Barcelos, 2705, sala 519 | CEP 90035-007 | Porto Alegre, RS, Brasil | Fone: (51) 3308 2141| E-mail: emquestao @ufrgs.br 

Membro da Associação Brasileira de Editores Científicos 

Signatária do San Francisco Declaration on Research Assessment (DORA)