Lugar e tempo: Bento Rodrigues no Lampião

Karina Gomes Barbosa, André Luís Carvalho

Resumo


Buscamos investigar como se deu a presença de Bento Rodrigues, subdistrito de Mariana (MG), no jornalismo local marianense antes do rompimento da Barragem do Fundão em 5 de novembro de 2015, que o devastou, e se – e como – tal presença se alterou depois da catástrofe. Nosso objeto de pesquisa é o jornal Lampião, que carrega a dupla característica de jornalismo local e de jornalismo experimental. O corpus pesquisado é composto pelas 21 edições anteriores à tragédia – da 0 à 20 – e pela edição 21, dedicada ao acontecimento. A partir de análise de conteúdo, trabalhamos com as variáveis de inferência de espaço e tempo para demarcar presenças e ausências do Bento como lugar; articular as temporalidades engendradas pela cobertura do veículo; e refletir sobre as noticiabilidades acionadas pelo jornal para trazer o subdistrito à tona ou interditar sua existência midiática, nessa dupla inscrição local-experimental. A análise nos permite concluir que o passado de Bento no jornal foi determinado pela mineração, que também consolida um presente que demarca a presença da ausência, amarrando os tempos midiáticos desse lugar/não lugar.


Palavras-chave


Bento Rodrigues. Jornalismo local. Lampião. Lugar. Tempo.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.19132/1807-858320190.%25p



Intexto | E-ISSN 1807-8583 | Facebook | Google Scholar 

Classificação Qualis: B1 - Comunicação, Informação, História, Letras/Linguística  | B2 - Psicologia | B3 - Ciência Política e Relações Internacionais, Arquitetura, Urbanismo e Design, Ciências Ambientais, Interdisciplinar | B4 - Sociologia. 

Programa de Pós-graduação em Comunicação | Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Rua Ramiro Barcelos, 2705 sala 519 - Porto Alegre, RS, Brasil | E-mail: Intexto @ufrgs.br

Membro Associação Brasileira de Editores Científicos 

Signatária DORA (San Francisco Declaration on Research Assessment)