Avaliação do desempenho de um teste rápido imunocromatográfico no diagnóstico de hanseníase em uma região endêmica no norte do Brasil

Autores

  • Jonas Michel Wolf Programa de Pós-Graduação em Biologia Celular e Molecular Aplicada à Saúde, Universidade Luterana do Brasil (ULBRA), Canoas, Rio Grande do Sul, Brasil.
  • Rosineide Góis Faculdade Ciências Biomédicas de Cacoal. Cacoal, RO, Brasil.
  • Sâmela Travaim Curso de Biomedicina Centro Universitário Luterano de JI-Paraná, CEULJI / Universidade Luterana do Brasil, RO, Brasil.
  • Gabrielle Prata Curso de Biomedicina Centro Universitário Luterano de JI-Paraná, CEULJI / Universidade Luterana do Brasil, Rondônia, Brasil.
  • Andressa Degen Curso de Biomedicina, Universidade Luterana do Brasil (ULBRA), Canoas, RS, Brasil.
  • Giselle Pereira Faculdade Pitágoras Ipatinga, Ipatinga, Minas Gerais, Brasil.
  • Márcia Susana Silva Programa de Pós-Graduação em Biologia Celular e Molecular Aplicada à Saúde, Universidade Luterana do Brasil (ULBRA), Canoas, Rio Grande do Sul, Brasil.

Palavras-chave:

Hanseníase, diagnóstico, imunocromatográfico

Resumo

Introdução: A hanseníase é de grande importância para a saúde pública, devido à sua epidemiologia e a seu poder incapacitante. A eficiência no diagnóstico desta doença é limitada. O objetivo deste estudo foi o de analisar o desempenho de um teste rápido imunocromatográfico para hanseníase multibacilar (MB) e paucibacilar (PB), em amostras positivas e negativas pela baciloscopia de raspado dérmico em pacientes diagnosticados com hanseníase, comparando analiticamente com os critérios da Organização Mundial da Saúde (OMS).

 

Métodos: O estudo foi realizado no município de Ji-Paraná/RO, entre 2015 e 2016, sendo avaliados 140 indivíduos. A análise comparativa entre os métodos foi realizada pelo cálculo de sensibilidade e especificidade utilizando o software SPSS®. Foi estimado o índice de Kappa (k) para avaliação da concordância entre os métodos. Valores de p <0,05 foram considerados significativos.

 

Resultados: O índice de concordância  entre o teste  rápido  e a  classificação  da OMS  foi  de k=  0,94  (p <0,01). Quando comparado a baciloscopia de indivíduos com hanseníase PB e o teste rápido, foi verificada concordância não significante (k= 0,01; p= 0,59). Comparando a concordância entre a baciloscopia de indivíduos com  hanseníase  MB e o teste  rápido, foi detectado um  índice de k= 0,64    (p <0,01). Além disso, sensibilidade de 94% e especificidade de 98% foram detectadas para hanseníase PB. Para hanseníase MB a sensibilidade foi de 95% e a especificidade de 98%.

 

Conclusão: O teste rápido avaliado é uma ferramenta útil, rápida e eficaz no auxílio do diagnóstico da hanseníase.

 

Palavras-chave: Hanseníase; diagnóstico; imunocromatográfico

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2019-02-19

Como Citar

1.
Wolf JM, Góis R, Travaim S, Prata G, Degen A, Pereira G, Silva MS. Avaliação do desempenho de um teste rápido imunocromatográfico no diagnóstico de hanseníase em uma região endêmica no norte do Brasil. Clin Biomed Res [Internet]. 19º de fevereiro de 2019 [citado 28º de novembro de 2022];38(4). Disponível em: https://seer.ufrgs.br/index.php/hcpa/article/view/84986

Edição

Seção

Artigos Originais

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)