Útero Didelfo

Autores

  • Adriani Oliveira Galão UFRGS
  • José A. Magalhães UFRGS
  • Maria Lúcia Oppermann UFRGS
  • Carla Vanin UFCSPA
  • Carlos Maia UFCSPA
  • Vanessa Genro UFRGS
  • Sabrina Soraia Schroeder UFRGS
  • Ana Luiza Braghini Martinez UFRGS
  • Jonatas Conterno UFRGS
  • José Luiz Rossignollo Filho UFRGS
  • Renata Heck UFRGS

Palavras-chave:

Malformação uterina

Resumo

Defeitos de desenvolvimento dos ductos de Müller ocorrem em 5-6% das mulheres e têm diferentes apresentações. A associação entre essas anormalidades e malformações do trato urinário é bem estabelecida e, possivelmente, tem sua explicação na origem embrionária mesodérmica comum dos dois sistemas.

 O útero didelfo (dois corpos, dois colos e duas vaginas) pode se apresentar com septo vaginal completo e agenesia renal. Essa anomalia mülleriana rara, usualmente se apresenta após a menarca com dor abdominal cíclica, leucorréia ou massa paravaginal. Tende a não ser reconhecida prontamente, pois a hemivagina patente permite menstruações regulares e intercurso sexual, sendo necessário um alto grau de suspeita para um pronto diagnóstico.

 Relatamos o caso de uma paciente de 18 anos com dor pélvica cíclica, secreção vaginal e história de quatro cirurgias prévias, sem diagnóstico definitivo e sem resolução dos sintomas. O diagnóstico inicial da malformação mülleriana foi confirmado por ressonância nuclear magnética. A paciente foi tratada com ressecção do septo vaginal longitudinal, que expôs o outro colo uterino, ampliou a vagina e resolveu os sintomas da paciente.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Adriani Oliveira Galão, UFRGS

Professora Adjunta do Departamento de Ginecologia e Obstetrícia da Faculdade de Medicina da Universidade federal do Rio Grande do Sul

Downloads

Publicado

2009-05-04

Como Citar

1.
Galão AO, Magalhães JA, Oppermann ML, Vanin C, Maia C, Genro V, Schroeder SS, Martinez ALB, Conterno J, Rossignollo Filho JL, Heck R. Útero Didelfo. Clin Biomed Res [Internet]. 4º de maio de 2009 [citado 30º de novembro de 2022];29(1). Disponível em: https://seer.ufrgs.br/index.php/hcpa/article/view/7573

Edição

Seção

Imagem Diagnóstica

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)