Associações entre polimorfismos genéticos da enzima álcool desidrogenase e o transtorno por uso de álcool

Autores

  • Jonas Michel Wolf Programa de Pós-graduação em Biologia Celular e Molecular Aplicada à Saúde, Universidade Luterana do Brasil (ULBRA). Canoas, Rio Grande do Sul, Brasil.
  • Daniel Simon Programa de Pós-graduação em Biologia Celular e Molecular Aplicada à Saúde, Universidade Luterana do Brasil (ULBRA). Canoas, Rio Grande do Sul, Brasil.
  • Vagner Ricardo Lunge Programa de Pós-graduação em Biologia Celular e Molecular Aplicada à Saúde, Universidade Luterana do Brasil (ULBRA). Canoas, Rio Grande do Sul, Brasil.

Palavras-chave:

Transtorno por uso de álcool, álcool desidrogenase, SNPs

Resumo

O transtorno por uso de álcool (TUA) é influenciado pela genética, principalmente na metabolização do etanol. Os genes da álcool desidrogenase (ADH1B/ADH1C), enzima que transforma o etanol, apresentam SNPs (single nucleotide polymorphisms) que resultam em isoenzimas com diferentes taxas catalíticas. Estudos demonstraram que os SNPs Arg48His, Arg370Cys, Arg272Gln e Ile350Val contribuem para o TUA. Este artigo revisou os estudos que investigaram SNPs em ADH1B (Arg48His/Arg370Cys) e ADH1C (Arg272Gln/Ile350Val), bem como avaliou as variações nas frequências alélicas desses genes e a influência no TUA nas diferentes populações no mundo. As frequências alélicas dos polimorfismos nos genes ADH1B e ADH1C foram comparadas entre diferentes regiões do mundo. A revisão foi realizada através de plataformas eletrônicas como NCBI/PUBMED, Google Scholar, SciELO, Science Direct, MEDLINE, LILACS e Scopus. As coletas dos dados referentes as frequências dos polimorfismos nos genes ADH1B e ADH1C foram realizadas a partir do banco de dados Ensembl Genome Browser 92 com os seguintes descritores: rs1229984, rs2066702, rs1693482 e rs698. As frequências alélicas dos polimorfismos foram comparadas pelos testes qui-quadrado de Pearson e exato de Fisher, considerando um nível de significância pré-estabelecido para o erro alfa de 5% (p <0,05). O SNP Arg48His confere proteção para o TUA em euroamericanos, latino-americanos, europeus, brasileiros, asiáticos e australianos. O SNP Arg370Cys confere proteção para o TUA em afrodescendentes. Os SNPs Arg272Gln e Ile350Val predispõem o TUA principalmente em europeus. Os SNPs Arg48His, Arg370Cys e Arg272Gln/Ile350Val foram mais frequentes em amostras de leste-asiáticos (69,7%), africanos (19,1%) e europeus (40,5%), respectivamente (p <0,01). Os diferentes alelos dos genes ADH1B/ADH1C devido a SNPs têm uma importante contribuição no TUA. As frequências desses alelos variam conforme a população, resultando em diferentes efeitos no TUA.

Palavras-chave: Transtorno por uso de álcool; álcool desidrogenase; SNPs

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2020-03-25

Como Citar

1.
Wolf JM, Simon D, Lunge VR. Associações entre polimorfismos genéticos da enzima álcool desidrogenase e o transtorno por uso de álcool. Clin Biomed Res [Internet]. 25º de março de 2020 [citado 28º de novembro de 2022];39(4). Disponível em: https://seer.ufrgs.br/index.php/hcpa/article/view/97531

Edição

Seção

Artigos de Revisão

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)