Calibração da Creatinina Sérica com Uso de Equação de Regressão: Influência na Performance da Fórmula do Estudo MDRD

Autores

  • Ariana Aguiar Soares UFRGS
  • Tatiana Falcão Eyff Universidade Federal do Rio Grande do Sul
  • Aline Bodanese Prates Universidade Federal do Rio Grande do Sul
  • Joíza Lins Camargo Hospital de Clínicas de Porto Alegre, RS
  • Vânia Naomi Hirakata Hospital de Clínicas de Porto Alegre, RS
  • Sandra Pinho Silveiro Hospital de Clínicas de Porto Alegre, RS

Palavras-chave:

taxa de filtração glomerular, TFG, MDRD, creatinina, calibrada

Resumo

Introdução: Diferenças nos métodos de medida da creatinina sérica podem determinar amplas variações na taxa de filtração glomerular (TFG) estimada com fórmulas. Para a padronização da medida da creatinina, deve ser usado método calibrado rastreável para medida de referência com ID-MS (isotope dilution mass spectrometry).

Objetivo: Avaliar a TFG estimada com a equação MDRD (Modification of Diet in Renal Disease) original (MDRDo, creatinina método não calibrado) e a equação MDRD re-expressa (MDRDr, método calibrado por ID-MS), comparando-as com a TFG medida pelo 51Cr-EDTA (método padrão) em indivíduos normais.

Métodos: Foram avaliados 101 indivíduos, com idade média de 38±12 anos, sendo 45 homens. A TFG foi medida pela técnica de injeção única do 51Cr-EDTA (TFG 51Cr-EDTA) e estimada pelas equações MDRDo: 186xcreatinina sérica-1,154 x idade-0,203 x 0,742 (se mulher) x 1,210 (se negro) e MDRDr, substituindo-se o valor 186 por 175 na equação. A creatinina sérica foi medida pelo método de Jaffe não calibrado e transformada em calibrado com a fórmula: y=1,07x-0,249, obtida previamente por regressão. A concordância entre os métodos foi avaliada através da análise de Bland&Altman.

Resultados: Os valores médios para as TFG 51Cr-EDTA, MDRDr e MDRDo foram de 105±18, 102±21 e 84±13 ml/min/1,73 m², respectivamente. Acurácia (percentual de casos de TFG estimada que não desviam em mais de 15% do valor medido) foi maior com o uso da MDRDr em relação à MDRDo (57% vs. 35%, P=0,002). O viés (diferença entre TFG medida e estimada) para 51Cr-EDTA e MDRDr foi de 3±23 ml/min/1,73 m². Para 51Cr-EDTA e MDRDo o viés foi significativamente maior, sendo de 21±18 ml/min/1,73 m².  No entanto, a precisão, avaliada como desvio padrão do viés indicou elevada dispersão nos dois casos.

Conclusão: O uso da equação re-expressa do MDRD, empregando a creatinina calibrada, produz uma estimativa mais acurada da TFG do que a equação original do MDRD. No entanto, devido à falta de precisão, ambas ainda são insatisfatórias para estimar a TFG.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ariana Aguiar Soares, UFRGS

Aluna de doutorado do Programa de Pós-Graduação em Ciências Médicas: Endocrinologia, UFRGS. Graduada em Farmácia em 1998 pela Universidade Luterana do Brasil.

Downloads

Publicado

2010-01-08

Como Citar

1.
Soares AA, Eyff TF, Prates AB, Camargo JL, Hirakata VN, Silveiro SP. Calibração da Creatinina Sérica com Uso de Equação de Regressão: Influência na Performance da Fórmula do Estudo MDRD. Clin Biomed Res [Internet]. 8º de janeiro de 2010 [citado 7º de dezembro de 2022];29(3). Disponível em: https://seer.ufrgs.br/index.php/hcpa/article/view/11775

Edição

Seção

Artigos Originais

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)

<< < 1 2 3 4 5