Proteinúria ainda é útil para triagem e diagnóstico de nefropatia diabética sintomática

Autores

  • Themis Zelmanovitz
  • Jorge L. Gross
  • Jarbas Oliveira
  • Mirela J. de Azevedo

Resumo

OBJETIVO: Avaliar a utilização de medições de proteína urinária total em coletas
urinárias de 24 horas e em amostras diurnas coletadas aleatoriamente para triagem
e diagnóstico de nefropatia diabética sintomática.

PACIENTES E MÉTODOS: Foram coletadas 217 amostras de urina a cada 24 h de
um total de 167 pacientes diabéticos (20 pacientes com diabetes tipo 1 e 147 com
diabetes tipo 2; 78 mulheres e 89 homens), com idade entre 20 e 84 anos. A albumina
foi medida por imunoturbidimetria, a proteína urinário total foi medida pela técnica
do ácido sulfosalicílico e a creatinina, pelo método de Jaffe. As amostras foram
divididas em três grupos de acordo com a taxa de 24 h de excreção urinária de
albumina: normoalbuminúricos (taxa de excreção urinária de albumina < 20 mg/min;
n=84), microalbuminúricos (taxa de excreção urinária de albumina 20-200 mg/min;
n=78), e macroalbuminúricos (taxa de excreção urinária de albumina > 200 mg/min;
n=55). Foram coletadas ainda 105 amostras aleatórias de urina de 86 pacientes
(normoalbuminúricos, n=47; microalbuminúricos, n=37; macroalbuminúricos, n=21),
das quais a concentração urinária de proteina e a relação proteína/creatinina urinária
foram obtidas. O método da curva de características operacionais do receptor foi
utilizado para analisar o desempenho dos testes diagnósticos.
RESULTADOS: O coeficiente de correlação de Spearman para a comparação entre
a taxa de 24 h de excreção urinária de albumina e a proteina urinária de 24 h foi 0,95
(P < 0,001). O mesmo coeficiente, para a comparação da taxa de 24 h de excreção
urinária de albumina com a concentração urinária de proteina, assim como com a
relação proteína/creatinina urinária foi 0,77 e 0,72, respectivamente (P < 0,001). As
áreas calculadas (+ erro padrão) abaixo da curva de características operacionais do
receptor para o diagnóstico de nefropatia diabética sintomática foram: 0,9987 + 0,001
para a proteina urinária de 24 h; 0,9926 + 0,006 para concentração urinária de
proteína; e 0,9751 + 0,014 para a relação proteina/creatinina urinária. Nas curvas
de características operacionais do receptor os primeiros pontos com 100% de
sensitividade foram: 541mg (95,7% de especificidade) para proteína urinária de 24
h, 431 mg/l (92,9% de especificidade) para concentração urinária, e 0,2 (76,2% de
especificidade) para a relação proteína/creatinina urinária.
CONCLUSÕES: As medidas de proteinuria foram extremamente eficazes na triagem
e no diagnóstico de nefropatia diabética sintomática. A medição de proteína urinária
é um método confiável e simples para a triagem e diagnóstico de nefropatia diabética
sintomática

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2022-05-25

Como Citar

1.
Zelmanovitz T, L. Gross J, Oliveira J, J. de Azevedo M. Proteinúria ainda é útil para triagem e diagnóstico de nefropatia diabética sintomática. Clin Biomed Res [Internet]. 25º de maio de 2022 [citado 30º de janeiro de 2023];18(2). Disponível em: https://seer.ufrgs.br/index.php/hcpa/article/view/124652

Edição

Seção

Editorial