Perfil dos partos cesáreos em um hospital universitário

Autores

  • Mariana Costa Hoffmeister Faculdade de Medicina da Universidade Federal do Rio Grande do Sul
  • Jessica Oliboni Scapineli Faculdade de Medicina da Universidade Federal do Rio Grande do Sul
  • Débora Elisa Rocha Lunardi Faculdade de Medicina da Universidade Federal do Rio Grande do Sul
  • Raissa Velasques de Figueiredo Faculdade de Medicina da Universidade Federal do Rio Grande do Sul
  • Xana Maito Mendes Faculdade de Medicina da Universidade Federal do Rio Grande do Sul
  • Daniela Akemi Fujita Faculdade de Medicina da Universidade Federal do Rio Grande do Sul
  • Mariane Boeira Resta Faculdade de Medicina da Universidade Federal do Rio Grande do Sul
  • Mariza Machado Kluck Faculdade de Medicina da Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Palavras-chave:

Gestão de qualidade, gestão em saúde, parto, cesárea.

Resumo

Introdução: A proporção de partos cesarianos no Brasil está muito além da preconizada pela Organização Mundial da Saúde, o mesmo ocorrendoem um Hospital Universitário de Porto Alegre, sul do Brasil. A taxa de cesáreas é considerada um indicador poderoso na avaliação da qualidade da assistência perinatal. Nosso objetivo foi analisar o padrão dos partos cesarianos e normais em um hospital universitário no período de2004 a 2012 quanto à média de permanência, faixa etária da parturiente, taxa de infecção relacionada ao parto, tipo de pagador e idade gestacional.

Métodos: Estudo de coorte retrospectivo, observacional, com dados coletados no Sistema de Indicadores de Gestão (IG) de um Hospital Universitário, abrangendo o período de2004 a 2012.

Resultados: A taxa de cesárea no hospital universitário nos anos analisados foi em média 33,21%. Em relação às cesarianas realizadas nesta instituição durante o período em estudo, observou-se que: há uma maior prevalência de cesáreas em mulheres acima de 40 anos, ocorreu um crescimento de partos cesarianos pré-termo, a média de permanência e taxa de infecção foram superiores em relação às mulheres submetidas ao parto vaginal, e houve predomínio de cesarianas na saúde suplementar quando comparada ao Sistema Único de Saúde.

Conclusões: As elevadas taxas de cesárea no hospital universitário, embora acima do recomendado pela OMS, são justificadas por se tratar de um hospital terciário e estão em conformidade com o padrão observado no país.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Mariana Costa Hoffmeister, Faculdade de Medicina da Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Acadêmica

Jessica Oliboni Scapineli, Faculdade de Medicina da Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Acadêmica

Débora Elisa Rocha Lunardi, Faculdade de Medicina da Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Acadêmica

Raissa Velasques de Figueiredo, Faculdade de Medicina da Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Acadêmica

Xana Maito Mendes, Faculdade de Medicina da Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Acadêmica

Daniela Akemi Fujita, Faculdade de Medicina da Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Acadêmica

Mariane Boeira Resta, Faculdade de Medicina da Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Acadêmica

Mariza Machado Kluck, Faculdade de Medicina da Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Professora do Departamento de Medicina Social

Downloads

Publicado

2015-02-25

Como Citar

1.
Hoffmeister MC, Scapineli JO, Lunardi DER, de Figueiredo RV, Mendes XM, Fujita DA, Resta MB, Kluck MM. Perfil dos partos cesáreos em um hospital universitário. Clin Biomed Res [Internet]. 25º de fevereiro de 2015 [citado 3º de outubro de 2022];35(1). Disponível em: https://seer.ufrgs.br/index.php/hcpa/article/view/51317

Edição

Seção

Artigos Originais

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)