Estudo laboratorial em bacias sanitárias de 4,8 L/descarga

Autores

  • Isabella Pastore Valêncio Universidade de São Paulo
  • Orestes Marraccini Gonçalves Universidade de Sao Paulo

Palavras-chave:

Bacia sanitária, Instalações prediais hidráulicas e sanitárias, Consumo doméstico de água, Uso eficiente da água

Resumo

Objetivo da pesquisa apresentada neste artigo é verificar, laboratorialmente, a possibilidade de redução do volume consumido por descarga das bacias sanitárias em dois litros (de 6,8 para 4,8 L/descarga), ou seja, verificar se essa redução resulta em efeitos negativos no desempenho da bacia sanitária e do sistema predial de esgoto sanitário. Foram avaliadas vinte bacias sanitárias com caixa acoplada e acionamento simples de 4,8 L/descarga (tanto bacias sanitárias projetadas para funcionar com 4,8 L/descarga quanto bacias sanitárias projetadas para funcionar com 6,8 L/descarga, mas reguladas para 4,8 L/descarga). Foram realizados os ensaios previstos nas normas brasileiras NBR 15097 (bacias sanitárias) e NBR 15491 (caixas de descarga), ensaio de remoção de pasta de soja conforme norma norte americana ASME A112.19.2e ensaio de transporte de pasta de soja desenvolvido em entidade estrangeira (PlumbingEfficiencyResearchCoalition). Asbacias sanitárias atendem ao desempenho de remoção de dejetos da própria bacia, mas apenas cinco (25%) foram aprovadas em todos os ensaios realizados, o que reflete a necessidade de melhoria no desenvolvimento das bacias sanitárias. No ensaio de transporte de pasta de soja, os resultados variaram de duas a seis descargas para fazer a limpeza da tubulação de dezoito metros de comprimento. Nenhuma das bacias sanitárias projetadas para funcionar com 6,8 L/descarga, mas reguladas para 4,8 L/descarga, foi aprovada nos ensaios laboratoriais, o que comprova que a simples redução do nível de água, na caixa de descarga, não é uma solução viável para reduzir o volume de água consumida pelas bacias sanitárias. O problema maior se dá com relação ao desempenho do sistema predial de esgoto sanitário. A redução do volume de descarga sem o estudo aprofundado do efeito gerado no sistema pode causar depósito de sólidos na tubulação.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Isabella Pastore Valêncio, Universidade de São Paulo

Estudante de Mestrado da Escola Politecnica da Universidade de Sao Paulo - USP. Departamento de Engenharia Civil. Área de Engenharia de Construção Civil e Urbana.

Orestes Marraccini Gonçalves, Universidade de Sao Paulo

Professor Doutor da Escola Politecnica da Universidade de Sao Paulo - USP. Departamento de Engenharia Civil.  Área de Engenharia de Construção Civil e Urbana.

Downloads

Publicado

2018-10-16

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)