O discurso biobibliográfico em Gabriel Peignot: notas sobre o sujeito e o autor na Modernidade bibliológica

Autores

DOI:

https://doi.org/10.19132/1808-5245250.159-175

Palavras-chave:

Biobibliografia. Discurso Biobibliográfico. Gabriel Peignot. Modernidade. Nome Próprio.

Resumo

A pesquisa propõe uma análise do discurso biobibliográfico em Gabriel Peignot a partir do Dictionnaire Raisonné de Bibliologie, publicado em 1802. O foco do objeto de investigação está na discussão sobre a identificação e a descrição das fontes de informação biobibliográficas no corpus peignotiano. A reflexão teórica, sustentada pela epistemologia histórica e pela abordagem filosófico-linguística, via a teoria pragmática, se constrói a partir de três marcos discursivos, a saber: os verbetes biobibliográficos e a intencionalidade peignotiana, a relação indivíduo e produção de texto/documento em Paul Otlet e, por fim, a reflexão crítica de Roland Barthes acerca da morte do autor como forma tardia de desenvolvimento da Modernidade. O objetivo principal é desenvolver a análise, apoiados em um contexto epistemológico-histórico, do papel da biobibliografia na Modernidade. A discussão mostra que a intenção em Gabriel Peignot de relacionar biografias e os feitos de cada sujeito no contexto bibliológico é profundamente marcada por uma influência enciclopédica e, ao mesmo tempo, por uma concepção sistemática do conhecimento empírico moderno, advindo do século dezoito.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Gustavo Silva Saldanha, IBICT - Unirio

Bacharel em Biblioteconomia (UFMG), Especialista em Filosofia Medieval (FSB - RJ) Mestre em Ciência da Informação (UFMG), Doutor em Ciência da Informação (IBICT - UFRJ).

Diogo Xavier da Mata, Programa de Pós-Graduação em Ciência da Informação

Programa de Pós-Graduação em Ciência da Informação

Referências

BARTHES, Roland. A morte do autor. In: Barthes, Roland. O rumor da língua. 2. ed. São Paulo: Martins Fontes, 2004.

Roland Barthes. Escrever a leitura. In: Roland, Barthes. O rumor da língua. 2. ed. São Paulo: Martins Fontes, 2004a.

BERGER, Peter; LUCKMANN, Thomas. A construção social da realidade: tratado de sociologia do conhecimento. Petrópolis: Vozes, 2014.

CUNHA, Murilo Bastos da; CAVALCANTI, Cordélia R. O. Dicionário de biblioteconomia e arquivologia. Brasília, DF: Briquet de Lemos, 2008.

FOUCAULT, Michel. A arqueologia do saber. Petrópolis, RJ: Editora Vozes, 1972.

FOUCAULT, Michel. A ordem do discurso. 24. ed. São Paulo: Edições Loyola, 2014.

LACROIX, Alfred. Figures des savants. Paris: Gauthier-Villars Editeurs, 1932. Tomo 1. Disponível em: https://gallica.bnf.fr/ark:/12148/bpt6k9301242/f1.vertical. Acesso em: 04 fev. 2019.

OTLET, Paul. Traité de Documentation: le livre sur le livre: théorie et pratique. Bruxelas: Mundaneum, 1934.

PEIGNOT, Gabriel. Dictionnaire raisonné de bibliologie, tomo I. Paris: Chez Villier, 1802a.

PEIGNOT, Gabriel. Dictionnaire raisonné de bibliologie, tomo II. Paris: Chez Villier, 1802b.

PLATÃO. Crátilo: diálogo sobre a justiça dos nomes. Lisboa: Sá da Costa, 1963.

SALDANHA, Gustavo S. Modernidade: uma impressão. InCID: Revista de Ciência da Informação e Documentação, v. 7, p. 7-22, 2016a.

SALDANHA, Gustavo S. A grande bibliologia: notas epistemológico-históricas sobre a ciência da organização dos saberes. Transinformacao, v. 28, p. 195-207, 2016b.

SALDANHA, Gustavo S. Sobre a bibliologia entre Peignot, Otlet e Estivals: vertentes de um longo discurso “metaepistemológico” da organização dos saberes. Informação e Sociedade, João Pessoa, v. 25, n. 2, p. 75-88, maio/ago. 2015.

SILVEIRA, Naira Christofoletti. A representação da autoria e o seu contexto social. Liinc em Revista, Rio de Janeiro, v. 14, n. 2, p. 318-328, nov. 2018.

SILVEIRA, Naira Christofoletti; SALDANHA, Gustavo Silva. O “nome próprio” no contexto da Epistemologia da Organização do Conhecimento: um debate filosófico-teórico. In: XII Congreso ISKO España y II Congreso ISKO España-Portugal, 19-20 de noviembre, 2015.

WITTY, Francis J. The Pinakes of Callimachus. The Library Quarterly, Chicago, v. 2, n. 2, p. 132-136, abr. 1958.

Downloads

Publicado

2019-10-17

Como Citar

SALDANHA, G. S.; MATA, D. X. da. O discurso biobibliográfico em Gabriel Peignot: notas sobre o sujeito e o autor na Modernidade bibliológica. Em Questão, Porto Alegre, v. 25, p. 159–175, 2019. DOI: 10.19132/1808-5245250.159-175. Disponível em: https://seer.ufrgs.br/index.php/EmQuestao/article/view/92421. Acesso em: 29 fev. 2024.

Edição

Seção

Fórum Internacional A Arte da Bibliografia