Fatores que interferem no (não) credenciamento de pesquisadores em programas de pós-graduação: um estudo nas universidades públicas em Goiás

Itala Moreira Alves, João de Melo Maricato, Dalton Lopes Martins

Resumo


Programas de pós-graduação stricto sensu são importantes para a formação de pesquisadores, para a produção e difusão de conhecimentos e desenvolvimento de tecnologias. Este trabalho visa levantar fatores que levam pesquisadores a se credenciarem (ou não) em programas dessa natureza, mesmo reunindo certas condições para tal. A metodologia utilizada consistiu na aplicação de um questionário a 578 docentes das instituições públicas de ensino superior do Estado de Goiás (UFG, UEG, IFGoiano e IFGoiás) que possuíam ao menos um artigo científico publicado nos últimos 5 anos (2009 à 2014). Ao total, 122 docentes (21%) responderam os questionários. Observou-se que 94% dos entrevistados têm interesse em participar de programas de pós-graduação stricto sensu. Os fatores organizacionais são os que mais influenciam os pesquisadores a não se credenciar em programas de pós-graduação, no entanto, os fatores relacionados ao trabalho, à organização a ao pessoal combinados entre si parecem exercer influência nesta decisão.

Palavras-chave


Pós-graduação. Docente. Comportamento organizacional. Goiás. Universidades públicas.

Texto completo:

PDF RESUMO


DOI: https://doi.org/10.19132/1808-5245211.150-172



Em Questão | ISSN 1808-5245 | EQ no Facebook | EQ no Google Scholar

Classificação Qualis: A2 - Comunicação e Informação; B2 - Ciências Ambientais; B3 - Administração, Ciências Contábeis e Turismo; B4 - Sociologia; B5 - Engenharias I.

Programa de Pós-graduação em Comunicação  | Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Rua Ramiro Barcelos, 2705, sala 519 | CEP 90035-007 | Porto Alegre, RS, Brasil | Fone: (51) 3308 2141| E-mail: emquestao @ufrgs.br 

Membro da Associação Brasileira de Editores Científicos 

Signatária do San Francisco Declaration on Research Assessment (DORA)